Polícia para quem precisa

  • 21/12/2019 04:50
  • João Camilo Pires de Campos

Imagine uma sociedade sem polícia. Nas cidades, a falta de patrulhamento abre espaço para roubos e saques a lojas. Mais mulheres são violentadas, espancadas, humilhadas. Estupros e assassinatos crescem sob o manto da impunidade.

As drogas correm soltas, pois não há mais apreensões e investigação. Menores são aliciados ao tráfico e prostituição. Autores de ficção poderiam dar novos parágrafos a este conto sem sentido.

O triste episódio de Paraisópolis nos remete a reflexões, pois nove vidas perdidas não podem ser relativizadas. Nenhuma reflexão, porém, deve ser acerca da necessidade ou da importância da polícia de São Paulo. Temos, sim, a melhor polícia do Brasil.

A valorização dos policiais e os investimentos realizados pelo governador João Doria têm sido determinantes no combate ao crime. De janeiro a outubro, a PM fez 28 milhões de atendimentos, apreendeu 120 toneladas de drogas, recuperou 8 mil armas e tirou das ruas 137 mil bandidos. O 190 atendeu a 18 milhões de chamados – 80 mil por dia, com deslocamento de 19 mil viaturas.

Apesar do cuidado na seleção e treinamento dos policiais, infelizmente há quem não honre nossa farda. Mas há o rigor das corregedorias, do Comando, da Secretaria de Segurança Pública e da Justiça. De 2000 a 2019, mais de 6 mil policiais foram expulsos por delitos dos menores aos mais graves.

As drogas correm soltas, pois não há mais apreensões e investigação. Menores são aliciados ao tráfico e prostituição

Nos seus 188 anos, a Polícia Militar jamais compactuou com desvios de conduta. A polícia é a muralha entre a sociedade e o crime e deve ser fortalecida.

Devemos ter cuidado para não apressar conclusões levianas acerca do caso Paraisópolis. É preciso aguardar as investigações antes de condenar qualquer pessoa, policial ou não.

Por que escrevo isso? Pela injustiça que vejo praticada pela generalização contra policiais de coragem e dedicados a nos proteger, salvar e até morrer por nossos filhos. E que, independentemente de críticas ou injustiças que se cometa contra eles, de quantas vezes forem repudiados ou feridos na alma, se ligarmos 190, eles sempre virão.

 

 

ÚLTIMAS DO AUTOR

João Camilo Pires de Campos

João Camilo Pires de Campos

João Camilo Pires de Campos é general de Exército e secretário da Segurança Pública de São Paulo

PUBLICIDADE