PECULATO

Polícia apreende documentos em Prefeitura de Emilianópolis

Gentil Dias Martins, tesoureiro do Executivo, é investigado por desvio de R$ 556,3 mil do cofre público; residência do acusado também foi alvo de apreensões nesta manhã

  • 07/06/2019 15:22
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

Foi desenvolvida na manhã de hoje a operação Tríade-Emília, que investiga o suposto desvio de R$ 556.362,02 em recursos da Prefeitura de Emilianópolis. A ação contou com a participação da Polícia Civil, TCE (Tribunal de Contas do Estado) e MPE (Ministério Público Estadual), que cumpriram mandados de buscas na sede do Executivo e na residência do tesoureiro Gentil Dias Martins, investigado pelo suposto crime de peculato.

De acordo com o delegado de Polícia Civil, Claudinei Alves, foram apreendidos materiais como documentos, comprovantes de pagamentos e uma arma de fogo de calibre 38. O armamento estava na residência do tesoureiro, e foi apreendido para posterior averiguação da regularidade.

Desde o começo da manhã, funcionários públicos vinculados à Prefeitura prestam depoimento na Delegacia de Polícia Civil do município. Conforme o delegado responsável pelas investigações, neste primeiro momento o tesoureiro ainda não foi ouvido, o que deverá ser feito no decorrer da apuração.

A reportagem entrou em contato com Emerson Almeida Nogueira, advogado de Gentil. Por telefone, informou que até o começo da tarde não teve acesso aos autos de busca e apreensão, o que deverá ocorrer até o final do dia para que possa prestar posicionamento sobre o fato.

O advogado Emir Alfredo Ferreira, do departamento Jurídico da Prefeitura, informa que o município está colaborando com a investigação e fornecendo toda a documentação. “O processo administrativo, em paralelo com a investigação, já está em fase de conclusão”, pontua.

Análise documental

Como noticiado por este diário, no dia 9 de abril a Polícia Civil abriu inquérito para investigar o suposto crime de peculato ocorrido na Prefeitura de Emilianópolis. Conforme valores conferidos pelo TCE, foi constatado desvio de aproximadamente R$ 556.362,02 do caixa do município. O suposto desvio foi verificado na semana anterior à investigação durante visita periódica de representantes do Tribunal de Contas, com base em documentos e Portal da Transparência.

Afastamento do cargo

Devido à investigação, o tesoureiro da Prefeitura, Gentil Dias Martins, 72 anos, que atua no cargo desde 2001, foi afastado provisoriamente da função. Na época, o advogado Emir Alfredo Ferreira, do departamento Jurídico da Prefeitura de Emilianópolis, informou que o prefeito João Batista Amaral (PTB) abriu processo administrativo disciplinar para investigar o suposto desvio de dinheiro. “O Tribunal de Contas do Estado nos comunicou que o suposto crime ocorria desde 2014, mas, até então, a diferença não havia sido apontada no relatório do exercício anterior”, afirma o advogado.

Diante do fato, explica que a Prefeitura tomou as providências cabíveis junto à Polícia Civil, Tribunal de Contas e Câmara Municipal. No documento encaminhado pelo advogado à reportagem, consta que o município criou uma comissão composta por três membros para apurar os fatos investigados.