Balanço local

Pleito em PP é marcado por filas demoradas e zonas tranquilas

Reportagem encontrou eleitores que não levaram 5 minutos para votar e outros que esperaram quase 1 hora

GABRIEL BUOSI - Da Reportagem Local • 09/10/2018 07:07:00

Foto: José Reis - Pela manhã, eleitores enfrentaram filas em alguns locais de votação

A eleitora Fernanda Andrade dos Santos, 23 anos, esteve no Colégio Anglo Prudentino na manhã de domingo para exercer a sua cidadania e participar das Eleições Gerais 2018. Ao ser entrevistada pela reportagem, ela relatou estar na fila por aproximadamente 30 minutos, na espera por sua vez, e disse que qualquer que fosse o período de espera, não seria suficiente para fazê-la desistir do voto. “Pessoas lutaram e morreram para que a gente votasse hoje, então, é um prazer exercer minha cidadania”, salientou. Em um giro pelos principais pontos eleitorais de Presidente Prudente, O Imparcial encontrou eleitores que não levaram mais do que cinco minutos dentro das zonas eleitorais, mas também localizou cidadãos que aguardaram por aproximadamente 50 minutos nas filas.

No início da manhã de domingo, o aposentado de 60 anos, Almir Alencar Figueiredo, saindo de sua sala de votação, estava animado com a possibilidade de eleger seus candidatos. Questionado sobre o tempo de espera e da prática do voto, que ocorreu na Escola Estadual Professora Mirella Pesce Desidere, ele informou ter sido mais rápido do que em anos anteriores. “Eu já tinha minha chapa escolhida há pelo menos 15 dias e vim preparado para enfrentar filas, mas na minha sala foi tudo muito rápido e tranquilo. É uma obrigação nossa exercer a cidadania, então, faço questão de vir”.

Na mesma unidade de ensino estavam mãe e filha, Valéria Lopes, 51 anos, e Laura Lopes, 19 anos. Questionadas sobre a preparação ao pleito e tempo de espera, a matriarca não hesitou em explicar a importância do dia. “Estamos em uma situação caótica no país e acho importante incentivar a minha filha a votar pela primeira vez. Conversamos bastante e estamos ansiosos por resultados que nos tragam melhorias”. Laura, por sua vez, ressaltou a dificuldade em encontrar candidatos que representassem suas ideias, mas lembrou de estar preparada. “Precisamos votar para que o Brasil melhore”. Na escola, o tempo médio de espera era de 15 a 20 minutos.

Já no Colégio Anglo Prudentino, diversas foram as situações encontradas em relação às filas de espera, que variavam segundo as zonas eleitoras. No primeiro andar do prédio, lugar com movimentação mais tranquila, a eleitora Roberta Godoi afirmou não ter levado mais do que cinco minutos na fila. “Normalmente é bem rápido mesmo, pois minha seção tem pouca gente. Mesmo se tivesse uma grande fila de espera, penso que é algo válido, pois estamos exercendo a nossa cidadania”.

No andar de cima, por sua vez, a movimentação estava bem mais intensa. Maria Luiza Henrique, 23 anos, esperava já há 10 minutos, com 32 pessoas à sua frente, o que levaria mais ou menos outros 40 minutos até que chegasse a sua vez. “Hoje foi bem difícil de localizar os servidores que dão apoio aqui na escola. Vou esperar para votar, pois este é um ato muito importante e que deve mudar os rumos do país”.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste