Weverson Nascimento: Cerimônia ocorreu ontem e foi marcada por familiares, amigos e membros da sociedade 

Foto: Weverson Nascimento: Cerimônia ocorreu ontem e foi marcada por familiares, amigos e membros da sociedade 

REINAUGURAÇÃO

Pinacoteca Municipal ganha nome de Laert Bueno

Espaço inaugurado em 1997 e que fica no Matarazzo, leva a qualificação artista que teve a vida profissional marcada pela atuação e incentivo à cultura em Prudente

  • 03/04/2019 20:35
  • WEVERSON NASCIMENTO - Da Redação

Apaixonado pela arte, música e cultura, Laert Bueno Junior, teve seu nome eternizado na reinauguração da Pinacoteca Municipal de Presidente Prudente. Responsável pela construção e trajetória cultural na cidade, o governo de Presidente Prudente por meio da Secretaria Municipal de Cultura deu honra ao espaço inaugurado em 1997. A cerimônia teve a presença de familiares, amigos que o conhecerem ao longo da sua trajetória e membros da comunidade civil. 

Com a vida marcada pela música, quando vocalista do conjunto musical “Os Temperamentais”, o professor também teve passagens pela Delegacia de Cultura do Estado de São Paulo, participou de clubes de serviços e foi um grande incentivador da cultura prudentina e regional.

O titular da Secult (Secretaria Municipal de Cultura), José Fabio Sousa Nougueira, ressaltou emocionado a importância de Laert para a sua carreia profissional. “Sem sombra de dúvidas, eu não estaria aqui hoje se não fosse o incentivo dele. Eu devo a minha vida cultural a ‘este cara’”, frisou.

O secretário relata que o sonho de Laert era ter a pinacoteca em Prudente e para isso ele reuniu obras de valor transformadas em patrimônio artístico cultural. Após seu falecimento, Fabio expõe que a pinacoteca ainda não tinha nome, e solicitou à Câmara Municipal, que aceitou a proposta, incluindo a sociedade que comprou a ideia.

O professor e amigo, Adalberto Lopes Pereira, 73 anos, relatou com entusiasmo das atividades que compartilharam juntos. “Eu me lembro do Laert da família, da pescaria, da arte, do conjunto embalando nossos finais de semana. Ele era um entusiasta que perpetua para todos nós. Eu fico feliz por hoje estar nesta homenagem a este grande amigo. Ele vive em nossos corações”, conta.

O prefeito Nelson Roberto Bugalho (PTB), esteve presente na cerimônia e ressaltou que o Centro Cultural Matarazzo é um templo da cultura prudentina. “Este, para mim, é um espaço muito especial, e o Laert está eternizado na cultura do município com esta pinacoteca. Foi ele quem concedeu, pensou e imaginou a arte e a cultura deste espaço”, diz.

O prefeito enfatiza a alegria de ver os amigos que estavam presentes descrevendo a personalidade de Laert e lembra a família que o artista será sempre lembrado como uma das pessoas que têm importante contribuição para história cultural da cidade. “Foi acertadamente a pinacoteca fazer homenagem ao Laert, homenagem justa que, infelizmente, por leis, ele não pode receber em vida, Mas, esta não tem fim, ela é infinita. Está aqui e será para sempre”, destaca.

Saudosismo

Laert Bueno Junior foi homenageado pela família que se lembrou de momentos importantes da trajetória do artista e seu amor pela cultura. A viúva, Marilene Benguella Bueno, 66 anos, declara que a pinacoteca foi a “menina dos olhos” de Laert e ele sempre foi “fissurado” por artes plásticas. “Hoje, nas espiritualidades, sei que deve estar emocionado e muito feliz com isso tudo, porque a pinacoteca era muito importante para ele, assim como a arte. Ele vivia para cultura!", enfatiza.

Marilene conta que para sua família a importância do espaço levar o nome de Laert é muito grande. “Apoiamos muito ele. Meus filhos cresceram com o pai dentro da cultura”, lembra.

O filho o design gráfico e ilustrador, Rodrigo Bueno, 40 anos, descreve o pai como o homem da cozinha, da família, da música, arte e cultura. Consagrado para a união e a celebração, seja na juventude animando bailes, ou ao longo da vida trazendo pontes de desenvolvimento cultural para as pessoas. “É muito raro de se encontrar um mestre e professor que vibra com seu desenvolvimento. Ele, realmente, está vivo porque fez desse lugar a vida dele. Fez poucas coisas para si próprio e muita para música, para arte e para cultura”, conta o filho.

Emocionado, destaca que o espaço não leva somente o nome do pai e sim a memória dele e acredita que vai servir para crianças, jovens e demais pessoas, verem fragmentos de artistas como portais de vida imaginativa para encontrarem a si próprio. “Os artistas e as artes facilitaram a vida do meu pai e hoje eu tenho o compromisso de estar acompanhando. E, quando vir visitar minha família em Prudente, sei que posso vir aqui e encontrar o meu pai”, ressalta.

O artista

A trajetória de Laerte é lembrada, principalmente, pela arte. O artista teve a vida profissional marcada pela atuação e incentivo à cultura. Amante da música e das artes plásticas, não media esforços para estar em companhia dos amigos e familiares, com quem dividiu momentos que renderam bons frutos, tanto à vida particular, quanto aos projetos que deixaram legado aos moradores da cidade. Além de desenvolver trabalhos voltados ao universo cultural, é lembrado também por ser um dos fundadores da banda “Os Temperamentais”, que, em 1966, juntou um grupo de amigos que levou alegria aos palcos, por meio de canções de época.

Em outubro de 2017, 31 anos depois de subirem em um palco pela última vez, “Os Temperamentais” se reuniram em um show marcante no teatro Paulo Roberto Lisboa, no Centro Cultural Matarazzo. Com bilheteria esgotada antes de o evento ter início, os aplausos intermináveis fizeram jus ao sucesso que arrastava multidões.

Laerte faleceu no dia 28 de junho do ano passado, proporcionado uma enorme construção cultural em Presidente Prudente.