“Supervisão”

Período de férias requer cuidados com crianças

Atividades aquáticas devem receber atenção maior, conforme Corpo de Bombeiros; contato visual é a principal dica aos pais

THIAGO MORELLO - Da Redação • 06/01/2019 07:30:00

Foto: Marcio Oliveira - Marcos Ferreira de Sousa, tenente: acidentes domésticos são mais decorrentes nas férias

É comum que nesse tempo de férias as crianças passem mais tempo com os pais, e até mesmo dedicadas às atividades lúdicas, que buscam promover diversão. No entanto, o Corpo de Bombeiros lembra que, ao longo desse período, alguns cuidados são necessários, de olho na segurança dos pequenos e na qualidade das práticas executadas.

Para se ter uma ideia, ao longo de 2018, a corporação de Presidente Prudente chegou a atender 3.496 casos de acidentes, que incluem todas as ocorrências, bem como os domésticos. E nesse período inicial de todos os anos, com as férias, o tenente Marcos Ferreira de Sousa lembra que tais situações são mais propensas de ocorrerem, por conta do tempo livre e ocioso, preenchido com atividades que também precisam de cuidados.

“Brincar em um parque, andar de bicicleta, soltar pipa, enfim, são muitas as práticas e que geralmente impulsionam para ocorrências comuns, como traumas, contusões, fraturas e cortes que vão de simples a graves”, detalha ao tenente. À reportagem, ele lista ainda as atividades aquáticas, que são indicadas por conta do verão, mas que merecem total atenção, em vista de possíveis afogamentos. “Os problemas relacionados nessa época são os de sempre”, completa.

Mas para que não ocorra, Ferreira pontua alguns comportamentos que os pais e responsáveis devem e podem ter com as crianças. “O que se espera nesse momento é que se tenha uma supervisão constante. O principal de tudo é ter um contato visual e certa vigilância nas proximidades de onde a criança está brincando”, destaca. Dicas como instruir os pequenos quanto aos cuidados necessários, usar aparelhos de proteção nas atividades que necessitam - como andar de bicicleta - também foram pontos enfatizados pelo tenente.

Mas se por ventura essas situações vierem a ocorrer, “por mais que seja difícil”, o primeiro passo é manter a calma, garante Ferreira. “Em seguida, acionar imediatamente o Corpo de Bombeiros. Ainda em ligação, a autoridade que o atender vai poder entender qual o tipo de lesão ocorrida e orientar quanto aos primeiros-socorros essenciais, até que os soldados cheguem até o local. Faz-se necessário ainda não realizar nenhum atendimento por conta própria, sem supervisão”, frisa.

BOX

Principais dicas:

- Manter supervisão constante com as crianças;

- Instruí-las sobre os cuidados necessários;

- Utilizar equipamentos de proteção;

- Em caso de acidente, acionar o Corpo de Bombeiros;

- Realizar primeiros-socorros apenas sob orientação;

- Manter a calma.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste