Cedida / Cia. de Reis Ribeirão Bonito Iepê: Moradores recebem Cia de Reis Ribeirão Bonito e agradecem bênçãos recebidas do Salvador

Foto: Cedida / Cia. de Reis Ribeirão Bonito Iepê: Moradores recebem Cia de Reis Ribeirão Bonito e agradecem bênçãos recebidas do Salvador

Religiosidade e folclore

Peregrinação dos três magos ainda é lembrada na Festa de Santo Reis

Caminhada de homens e mulheres remete a longa viagem que Melchior, Gaspar e Baltazar fizeram ao encontro do menino Jesus para presenteá-lo

  • 05/01/2019 05:48
  • OSLAINE SILVA - Da Redação

Uma caminhada com objetivo de ir fazendo paradas às casas por onde passa, que começa no dia 25 de dezembro, ainda é costume para alguns grupos católicos que mantém viva a tradição da festa de Santo Reis, celebrada no dia 6 de janeiro em algumas cidades da região de Presidente Prudente.

A Cia. de Reis do bairro do Ribeirão Bonito do município de Iepê é um desses grupos que fazem questão de manter viva essa tradição. Seus componentes iniciaram a jornada no dia do Natal, visitando em média 15 casas por dia na cidade e também nas vizinhas, onde os moradores que os recebem agradecem as bênçãos e graças recebidas ao Salvador. Ao Jesus menino que nascera em Belém!

Lúcio Braga de Oliveira Monteiro, ou apenas Lúcio Viola, é um dos integrantes do grupo desde os 17 anos de idade. Segundo ele, a bandeira percorre bairros rurais e urbanos levando sempre uma mensagem de fé e tradição sendo bem recebida pela população que devota sempre colabora para a realização da festa, que será neste domingo na capela do Ribeirão Bonito (km 421 da Rodovia Jorge Bassil Dower entre Iepê e Gardênia).

“Apesar das dificuldades em se juntar pessoas dispostas a participar dessa caminhada, os membros mais velhos da companhia fazem um esforço e se unem à juventude que vem seguindo passos de seus pais e avós. Que bom, pois a folia de Reis do Ribeirão se mantém por mais um ano nessa rica tradição religiosa, levando muita alegria, paz e esperança por aonde chega”, agradece Lúcio Viola.

O folião explica que a caminhada é feita com ônibus cedido pela prefeitura, onde até o motorista vira cantor e ajuda. A população colabora bastante garantindo, assim, a fartura na mesa dos três reis santos num almoço gratuito a todos que prestigiarem a festa. A chegada da bandeira da Cia. de Reis do Ribeirão Bonito será por volta do meio-dia e logo após servido o almoço, neste domingo.

 

Jovens à frente

Os jovens de Agissê, distrito de Rancharia, seguem com toda dedicação mantendo a tradição dos mais antigos. Neste ano, tiveram que adaptar algumas coisas, como antecipar o dia de saída, ao invés de 25 de dezembro começaram a caminhada às residências no dia 17 de novembro, até ontem, último dia de visitas eles visitaram em torno de 300 casas.

Segundo Joemar Amaro Garcia dos Reis, 33 anos, um dos membros foliões da Cia de Reis Agissê, hoje eles cantam para o pessoal que está nos preparativos da confraternização que ocorrerá no dia 6 depois da

chegada da bandeira. A recepção será na praça, às 15h, no salão paroquial da igreja São Sebastião, em seguida tem a exaltação dos três arcos, depois a louvação do presépio, reza-se o terço e finalizando é servido o jantar feito com as prendas que moradores que visitaram lhes doam. Arroz, macarrão, farofa molhada, churrasco, porco no tacho e linguiça assada estão no cardápio apetitoso.

“No domingo cumprimos nossa missão com fé. Levamos às pessoas a mensagem de que Deus teve misericórdia da humanidade, nasceu entre nós humilde, em uma manjedoura, se fez homem para nos dar a salvação. Desejamos alegria, paz e esperança em Cristo Jesus de um bom ano novo que se inicia. Oramos com as famílias que precisam. Ou seja, a Folia de Reis é envolta a muitas emoções de amor e fé. Existe todo um ritual religioso”, expõe Joemar.

O folião lembra que o embaixador e mestre da companhia é o senhor Orvando Fernandes, Wando, 74 anos, qual a reportagem não conseguiu contato, mas em outra ocasião ele expôs que: “primeiramente cumprimos com toda a parte religiosa da festa, rezamos o terço, agradecemos por nossas vidas e com a chegada da bandeira nos divertimos e festejamos a parte folclórica. Presenciamos a nostalgia nas pessoas, que demonstram de várias formas a alegria, a saudade de familiares que já se foram, a fé e o amor a nosso Senhor Jesus Cristo”.

 

Tradição de fé e devoção

Ribeirão dos Índios é outra cidade da região que não deixa morrer essa tradição. O grupo Folia de Santos Reis, que tem como presidente Donizetti Magro, 53 anos saiu em peregrinação no dia 25 e até hoje visitou em torno de 700 casas. Amanhã, às 17h será celebrada uma missa de recepção aos foliões e a bandeira.

Para a confraternização entre convidados que será realizada no dia 19 de janeiro, o grupo ganhou 100 arrobas de carne para o churrasco e 4 mil pãezinhos.

“A paz, o amor que Jesus nos pediu para que pregássemos. Os ensinamentos que Ele nos deixou é o que tentamos levar até às famílias que visitamos. A gente fica até sem palavras para explicar o que sentimos nessa caminhada para dar continuidade à tradição de fé e devoção, que começou a mais de seis décadas com meu avô João Zanfolin, depois com meu tio Ângelo e há 13 anos comigo à frente. Pedindo ao Jesus Menino que nos abençoe e proteja em mais um ano novo que começa. Que todos possamos renovar nossas intenções”, clama Donizetti.

 

SAIBA MAIS

Em 6 de janeiro, celebra-se em muitos países a epifania, palavra esta que significa “manifestação”. Data em que os católicos também chamam de Festa de Santo Reis ou Folia de Reis, relembrando os três reis magos, Melchior, rei da Pérsia; Gaspar, da Índia; e Baltazar, da Arábia.

Segundo relatos, estes três homens fizeram uma longa viagem para presentearem o recém-nascido, menino Jesus. Então, seguindo o costume, neste dia, grupos de foliões se revezam em cantoria com acompanhamento de instrumentos (surdo, flauta, pandeiro, violão, sanfona) encerrando a tradicional caminhada, geralmente iniciada no dia 25 de dezembro, com grande festa.