Croeste - Reeducandas de Tupi Paulista assistiram curta-metragem sobre o tema

Foto: Croeste - Reeducandas de Tupi Paulista assistiram curta-metragem sobre o tema

RODA DE CONVERSA

Penitenciárias abordam visibilidade trans com sentenciados

Atividades incluíram reflexão sobre o tema e autoconhecimento, em alusão ao Dia da Visibilidade Trans

  • 25/02/2020 12:05
  • DA REDAÇÃO

Comemorado em 29 de janeiro, o Dia da Visibilidade Trans ganhou espaço também nos presídios paulistas. Para comemorar a data, alguns estabelecimentos realizaram palestras e rodas de conversa voltada ao tema e exibiram filmes que tratam do assunto. Reeducandas da Penitenciária Feminina de Tupi Paulista, que se autodeclararam homens trans, assistiram um curta-metragem sobre o tema.

O vídeo trouxe personagens questões, dilemas, relações com a família, trabalho, experiências, processos transitórios e de autoconhecimento. Logo após, foi realizada uma roda de conversa e servido um café da tarde.

Além de Tupi Paulista, profissionais de outras unidades prisionais também debateram sobre o tema. Na Penitenciária Nestor Canoa de Mirandópolis, o supervisor técnico III, Jean Carlos Sanches da Silva, ministrou uma palestra para 44 sentenciados sobre “Direitos e Deveres da População LGBTQI+”. Em seguida, as enfermeiras Lúcia Júlio Marconato e Nair Júlio abordaram a importância da prevenção contra doenças sexualmente transmissíveis. 

Palestra sobre o assunto também foi ministrada no Centro de Detenção Provisória de Nova Independência pela psicóloga Elaine Peres Batista e a Assistente Social Dagmar Cristina Rodrigues da Silva, ambas da prefeitura local.

A Penitenciária de Assis desenvolveu duas atividades idealizadas pela Diretora Substituta de Trabalho e Educação, Roseli Ferreira Ameduri e executadas em parceria com a graduanda de Letras da Unesp de Assis, Yasmin Dionísio Paes. Uma delas foi a exibição do filme “A Garota Dinamarquesa”, de Tom Hooper.