José Reis - Cido tem referências de pintores impressionistas e pós-impressionistas do século XIX e XX

Foto: José Reis - Cido tem referências de pintores impressionistas e pós-impressionistas do século XIX e XX

MOSTRA

Paris e Veneza pelas cores de Cido Oliveira

Artista prudentino expõe em dois espaços do Centro Cultural Matarazzo, até o dia 8 de setembro; cenas das cidades europeias vêm de fotografias antigas

  • 01/09/2019 08:21
  • PEDRO SILVA - Especial para O Imparcial

A partir de fotografias antigas do cotidiano das cidades de Paris e Veneza, o artista plástico prudentino, Cido Oliveira, cria quadros belos, únicos e detalhados. As obras do pintor retratando o cotidiano das vidas europeias estão em exposição no Centro Cultural Matarazzo, de Presidente Prudente, até o dia 8 de setembro, todos os dias da semana.

A mostra pode ser vista em dois lugares: na Galeria Takeo Sawada, onde são expostos os principais quadros, com cenas de Paris e Veneza, divididas em 22 pinturas; e na Sala de Convivência, onde trabalhos retratando cenas ordinárias e elementos como barcos e edificações estão à disposição do público em mais 20 obras. As telas estão à venda.

Trajetória e referências

No mundo das artes plásticas desde os 12 anos de idade, Cido começou a pintar por hobby, e seus primeiros trabalhos para terceiros eram para seus amigos. Ele interpreta cenas do cotidiano e tem referências em Claude Monet (impressionista francês 1840 – 1926), Pierre-Auguste Renoir (impressionista francês 1841 – 1919) e Vincent van Gogh (pós-impressionista holandês 1853 – 1890). “Gosto de retratar cenários antigos, casas, cenas rurais”, comenta. “Eu gosto muito de Edouard-Léon Cortès (pós-impressionista francês 1882 – 1969), que pintava cenas de Paris ao vivo”, acrescenta.

As inspirações de Cido vêm de fotografias antigas. Segundo ele, Paris retratada em suas obras pertencem sempre a uma época antiga, na Idade Moderna, já Veneza é pintada em várias décadas, desde a era moderna, até a contemporânea. “Depois da minha exposição ‘As Luzes de Paris’, eu comecei a pensar em retratar Veneza, pela importância da cidade. No começo, minha ideia era fazer uma exposição só com Veneza, mas pela importância e beleza das duas cidades, as expus juntas”, conta.

Veneza, segundo o artista, demora mais para pintar, por causa dos detalhes. “As pessoas me dizem que as [pinturas] de Paris tem muita coisa, por que eu pinto cenas com 50 ou 100 pessoas, mas para mim não é muita coisa. Veneza é mais complexa [...], talvez seja pela experiência que eu tenho em retratar Paris”. Ele ainda comenta que gosta de iniciar e terminar suas telas o mais rápido possível, pois, “quando eu começo a pintar, eu me transporto para dentro da cena, aí não consigo pensar em outra coisa antes de terminar, porque eu só penso no quadro”.

Desde o início, o artista utiliza tinta óleo e atualmente pinta somente com espátula, por suas referências de artistas impressionistas e pós-impressionistas.

Patrocínios

Cido já expôs em grandes eventos, como o Mega Artesanal, e no aniversário de 100 anos de Presidente Prudente retratou cenas da cidade. O artista é patrocinado pela Gato Preto, fabricante de tintas óleo para quadros e produtos de artesanatos, e pela Condor, fabricante entre outras coisas, de pinceis para artistas.

Serviço

A exposição das obras de Cido Oliveira ocorre no Centro Cultural Matarazzo, na Galeria Takeo Sawada e na Sala de Convivência, de segunda a sábado, das 8h30 às 22h; e domingos, das 14h às 22h. A entrada é gratuita, e os quadros estão à venda, com preços variando entre R$ 800 e R$ 6 mil.

 

Foto: José Reis

Exposição conta com mais de 40 obras, tendo foco nas cenas das cidades de Paris e Veneza