Para manter poupança é preciso ter planejamento

Especialista afirma que o maior erro das pessoas é não ter educação financeira na hora de começar a poupar dinheiro

IZABELLY FERNANDES - Especial para O Imparcial • 09/08/2018 06:32:00

Patricia diz que tenta poupar dinheiro, mas sempre surge algum imprevisto. Foto: Marcio Oliveira

Em um cenário em que os gastos, na maioria das vezes, são maiores do que o orçamento disponível, desenvolver uma caderneta de poupança parece uma tarefa quase impossível. No entanto, para uma tranquilidade no futuro, ideal é sempre tentar reservar algum dinheiro no fim do mês. O educador financeiro, Moisés Silva Martins, diz que o maior erro das pessoas é não realizar um planejamento para abrir uma caderneta de poupança.

Moisés afirma que os brasileiros não conseguem poupar, pois quando conseguem fazer uma reserva financeira, logo têm que gastar. “As pessoas não possuem uma educação financeira e não entendem que poupar faz bem para o lado emocional e para a economia.”, afirma. O educador ainda diz que alguns produtos que utilizamos estão adquirindo um valor cada vez mais alto e, assim, “os gastos acabam se tornando maiores do que o orçamento”.

O vendedor Patrick Pradela Almeida dos Santos, 23 anos, admite que não possui poupança, pois é muito compulsivo e acabando gastando de maneira exagerada. “Sei que isso é por falta de uma gestão pessoal. No futuro pode ser que eu comece a poupar, pois sei que isso é necessário”, afirma. Já o motorista Luiz Fernando Ribeiro, 35 anos, declara que não tem poupança devido ao alto custo de vida. “A gente tenta reservar um dinheiro, mas nunca dá. Nos dias atuais, tudo está muito caro, como aluguel, produtos e impostos, o que a gente ganha, basicamente é para sobreviver”, afirma.

A dona de casa Patrícia Cardoso Correia, 43 anos, por sua vez, fala que costuma economizar, e o pouco que consegue, coloca no banco. “Hoje em dia é difícil manter o dinheiro por muito tempo, sempre surge algo que faz com que a gente gaste”, esclarece. A aposentada Lucia Alexandre Mora, 73 anos, ressalta que com um salário mínimo não consegue poupar, pois as contas são muitas perante o valor que recebe. “Minha sorte é que não preciso gastar com remédio, mas tenho outras despesas que substituem”, salienta.

A atendente Nathalia Luana de Honório Alves, 27 anos, possui uma caderneta de poupança, e diz que todo mês tenta guardar um pouco de dinheiro. “Eu vou guardando dinheiro, mas chega no fim do mês e acabo usando para pagar as contas”, expõe. Já a secretária Marceli Botelho Soares, 37 anos, costuma poupar e diz que atualmente vem investindo na previdência. Ela declara que não possui dívidas e sempre consegue reservar um bom dinheiro no fim do mês. “O meu pagamento sempre encontra com o do outro mês. Sempre penso duas vezes antes de gastar”, explica.

SAIBA MAIS

No primeiro bimestre deste ano, Presidente Prudente fechou com o saldo de R$ 2.337.563.408,00 na caderneta de poupança, representando uma evolução de 9,5% em comparação com os dois primeiros meses do ano anterior, que tinha o saldo de R$ 2.134.605.999,00. Segundo dados do BCB (Banco Central do Brasil), por meio da ferramenta Estban (Estatística Bancária por Município), essa evolução resultou em um aumento de R$ 202.957.409,00 no período de um ano, entre 2017 e 2018. Os números são apresentados pelo BCB com base no saldo de seis bancos de Prudente, sendo eles: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco Mercantil do Brasil, Itaú Unibanco, Banco Bradesco e Banco Santander. 

DICAS DE COMO POUPAR

- Fazer um planejamento de receita e gasto;

- Colocar o dinheiro na reserva e esquecê-lo;

- Estabelecer uma meta;

- Utilizar o dinheiro da poupança somente no último minuto;

- Em situações em que os gastos sejam menores do que se estimava, aconselha-se colocar o que restou na caderneta;

- Poupar pelo menos 10% do que gasta.

Fonte: Moisés Silva Martins

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste