Para estudantes, flexibilidade de horário fortalece busca por EAD

Região

| ANDRÉ ESTEVES - Da Redação

Interessada em fazer uma graduação, mas sem tempo para conciliar a maternidade e os estudos, a cuidadora Mariele Rita da Silva Paula, 32 anos, encontrou no curso de EAD (Educação a Distância) a oportunidade de se formar em Pedagogia fazendo os seus próprios horários. Atualmente, ela está com três disciplinas abertas, sendo assim, tira três dias da semana para realizar as aulas e trabalhos e dedica diariamente cerca de três a quatro horas para os estudos. Nos finais de semana, se debruça sobre aquilo que ficou em atraso. Sua rotina de estudo é disciplinadamente planejada para que não perca os prazos e nem fique com material acumulado.

Assim como Mariele, outras pessoas recorrem ao ensino a distância para não abrir mão da formação no ensino superior ou até mesmo de uma pós-graduação. Em Presidente Prudente, a oferta desta modalidade é realizada pela Unoeste (Universidade do Oeste Paulista) e Fapepe/Uniesp (Faculdade de Presidente Prudente da União Nacional das Instituições de Ensino Superior Privadas), que é polo da Universidade Brasil.

Na primeira universidade, são 107 cursos oferecidos, entre graduação, especialização, aperfeiçoamento e extensão, sendo que o mais procurado é Pedagogia. A coordenadora geral de EAD da instituição, Sonia Sanae Sato, expõe que, no ano passado, foram matriculados aproximadamente 5 mil alunos em cursos a distância. O destaque ficou para as especializações, que, de 2016 para 2017, cresceram 40%. No caso das graduações, o aumento chegou aos 36%. Hoje, são 1.393 alunos vinculados a esta modalidade. A representante salienta que a elevação da procura foi decorrente da própria expansão da educação a distância no mercado, que ocorreu principalmente em função do incentivo do governo como forma de ampliar o acesso ao ensino superior.

A Fapepe, por outro lado, começou só agora, em 2018, as atividades como polo de apoio presencial aos cursos de educação a distância ofertados pela Universidade Brasil. São 32 cursos de graduação e 12 de pós-graduação. Para a diretora-geral da instituição, Maria Helena de Carvalho e Silva Bueno, com a disponibilização da modalidade, a universidade possibilita mais uma opção de ensino para que o interessado verifique qual é a mais adequada à sua necessidade no momento.

A Toledo Prudente Centro Universitário, por sua vez, informa que ainda não oferece cursos de EAD, contudo, possui o Nead (Núcleo de Educação a Distância), que disponibiliza algumas disciplinas semipresenciais nos cursos presenciais de graduação. “O MEC [Ministério da Educação] estabelece que, mesmo nos cursos presenciais, 20% da matriz curricular pode ser ofertada a distância”, expõe. A FCT/Unesp (Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista) ainda também não dispõe desta opção.

 

Comodidade

A técnica de segurança do trabalho, Maria Tatiana Macedo da Silva, 39 anos, optou pela comodidade para conciliar os estudos e os afazeres cotidianos. Para ela, os pontos favoráveis da educação a distância são a flexibilidade de horário; a disponibilidade de material, o que lhe permite rever a matéria todas as vezes que tiver dúvidas; e o fato de não precisar se deslocar todos os dias até a faculdade.

Já o ponto desfavorável é não ter a presença física do professor na hora das dúvidas, pois, embora as envie por e-mail ou chat, “sempre fica algum ponto de dúvida ainda”. Já Mariele completa que, apesar disso, não se sente abandonada. “Estudo, tenho professores, amigas e um grupo no WhatsApp para discussões. Diria que a EAD é bem mais complexa que a educação presencial”, pondera.

 

A elevação da procura foi decorrente da própria expansão da educação a distância no mercado, que ocorreu principalmente em função do incentivo do governo como forma de ampliar o acesso ao ensino superior

Sonia Sanae Sato

Coordenadora geral de EAD

Comente com o editor

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste