UNIÃO FAZ A FORÇA!

Palestra aborda sobre o empoderamento feminino

Fundadora do Mulher [+], Adiane Mitidiero, comenta sobre importância de movimentos como o 1º Ciclo de Palestras sobre Empreendedorismo Feminino

13/03/2019 07:12 • GABRIEL BUOSI - Da Redação
José Reis - 1º Ciclo de Palestras sobre empreendedorismo feminino ocorreu na tarde de ontem José Reis - 1º Ciclo de Palestras sobre empreendedorismo feminino ocorreu na tarde de ontem

O empoderamento feminino é acreditar que toda e qualquer mulher possui seu poder e que esse poder gera a influência, de forma que o movimento, se é que ele pode ser chamado assim, objetiva ainda ressaltar no sexo feminino o potencial e o legado que cada uma das mulheres pode deixar na sociedade. As definições são da empreendedora e fundadora do Mulher [+], Adiane Mitidiero, que ministrou ontem, no Centro Cultural Matarazzo, em Presidente Prudente, a palestra “Empoderamento: como conciliar trabalho e família?”.  “Costumamos dizer que esse caminho é longo, mas importante e necessário. Precisamos mostrar que elas precisam de ajuda e incentivo de pessoas, para que adquiram ferramentas capazes de facilitar essa conciliação da vida profissional com a pessoal, mesmo não sendo fácil. Somos capazes de tudo e de qualquer coisa”.

Ainda segundo Adiane, nem sempre a mulher é capaz de entender, a princípio, tamanha capacidade que possui, muitas vezes por questões culturais, de vivência e experiências que teve ao longo da vida e que não foram suficientes para ressaltar devidamente suas qualidades. Segundo a empreendedora, por isso existe a necessidade hoje da junção de grupos e movimentos que conseguem, de forma clara e prestativa, divulgar que mulher empoderada é aquela que tem consciência do legado que pode deixar no mundo.

“Os dados não nos deixam mentir. Ainda temos números alarmantes e que tratam da vida das mulheres, como a probabilidade que ela tem três vezes mais chances de ter uma depressão, os casos de feminicídio e o fato de que nós ganhamos, em média, 70% do salário do homem em uma mesma função, em alguns países”, afirma. Ainda segundo Adiane, foi justamente por isso e outros motivos que ela fundou o Mulher [+], que possui o princípio de empoderar mulheres e trabalhar quatro frentes: trabalho, família, comunidade e o eu.

Foi justamente as duas primeiras frentes as responsáveis por darem nome à palestra ministrada por ela na tarde de ontem, no Centro Cultural Matarazzo. A ação fez parte do 1º Ciclo de Palestras sobre Empreendedorismo Feminino, que contou ainda com a discussão de temas como: Marketing & Mulher Digital: Como usar as redes sociais para o meu negócio e Recursos Humanos: Talento certo para empresa certa. “Costumamos dizer que todo esse processo faz parte de um caminho longo, mas que vai desconstruir crenças que temos desde pequenas. É através destas redes que vamos sair de ciclos viciosos para virtuosos”.

Por fim, a empreendedora deixa o exemplo de que as mulheres que se formam no ensino médio são maioria, mas que ao olhar para os cargos de presidência e executivos em empresas, elas representam 4% dos profissionais à frente de grandes empresas. “É exatamente neste momento, no meio tempo que elas se tornam mães é que surge a dificuldade, o que chamamos de teto de vidro, pois ninguém quer comentar sobre. Por isso ela precisa da ajuda de amigos, familiares e de ferramentas que facilitem a conciliação da vida pessoal e profissional”, finaliza.

Prática

A empresária Lucimara de Souza Arantes Neves, 34 anos, afirma que soube do 1º Ciclo de Palestras sobre Empreendedorismo Feminino por meio do Mulher [+] e afirma que o contato com as palestrantes e participantes traz “grandes mudanças” de vida. “Penso que quanto mais estivermos empoderadas e unidas, mais chegaremos longe. Eu crio uma filha de três anos com a mesma força que vivo, para que ela saiba lidar com as adversidades do mundo”. Lucimara afirma que há resistência neste processo, mas ressalta que é com “amor e calma” que o combate é feito.

A analista de mídia de 21 anos, Emanuele Alencar Azevedo, também esteve presente e disse que, sobre o tema da palestra de Adiane, se considera nova para pensar na construção familiar, mas disse ver como pertinente a abordagem, já que as mulheres, segundo ela, precisam saber lidar de forma correta com a vida profissional e familiar. “Tento me informar o máximo possível e tomar escolhas conscientes no que diz respeito ao empoderamento. Sabemos que vivemos em uma sociedade machista e por mais que você tente, você sabe que não acreditam em todo o seu potencial, por isso procuro uma rede que me apoia e que eu possa crescer com ela”, finaliza.