Padre comenta significado da Páscoa cristã, celebrada hoje

O significado da páscoa é maior do que apenas chocolate ou o coelho, religioso para o catolicismo, é lembrar a passagem de Jesus da morte para a vida eterna

  • 21/04/2019 08:10
  • WEVERSON NASCIMENTO - Da Redação

A Páscoa Cristã é uma das festividades mais importantes para os cristãos, pois representa a ressurreição de Jesus Cristo. O significado da Páscoa é maior do que apenas chocolate ou o coelho, seu significado religioso para o catolicismo é de lembrar a passagem da morte para a vida. Jesus, Deus encarnado na história humana, passou pela morte e agora, ressuscitado, vive para sempre. Celebrar a Páscoa é celebrar a vitória da vida sobre a morte. “Quem crê, e pelo batismo vive e celebra o Cristo Jesus, tem garantida a vida eterna”, explica padre Sandro Rogério dos Santos, pároco do Santuário Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face de Presidente Prudente.

A palavra Páscoa significa passagem (vem da língua hebraica ‘pessah’). A antiga Páscoa comemorava a libertação do povo de Deus escravo no Egito quando atravessou o mar vermelho a pé enxuto, mais tarde, tornou-se a recordação do evento libertador na Festa das Semanas (ou das Colheitas).

A celebração é o principal evento religioso e litúrgico do ano. Ela demarca o ritmo da vida litúrgica habitual. Sandro explica que a cada domingo, celebra-se a Páscoa semanal, atualizando o santo e único sacrifício redentor de Jesus. Portanto, o coração do ano litúrgico é a Páscoa compreendida no seu tríduo: quinta, sexta e sábado e também no tempo pascal, 50 dias após o dia da páscoa.

Celebrar a Páscoa é confiar na força do amor que sempre vence e depositar a fé e confiança n’Aquele que abriu o horizonte da eternidade, capacitando a viver na perspectiva não do cemitério, mas do céu, afirma o Padre. “Ela tem este significado, a Ressurreição de Jesus, a ressurreição para a vida plena, para a vida eterna, para uma nova vida de amor com Deus.”

Símbolos culturais

Ao longo dos anos outra figura tomou conta da comemoração, o Coelho da Páscoa e os tradicionais ovos de chocolate. De acordo com o padre, são estranhos à fé cristã, embora na história tenham sido atribuídos sentidos diversos a esses elementos.

De todo modo, expressa algumas informações sobre o assunto que se tornam pertinentes. O ovo é, em si, a expressão de vida, pois contém desde sua forma inicial. Desde a antiguidade, esse elemento se revestiu de sentido simbólico, seja entre os egípcios que entre os persianos. Entre esses últimos, existia o costume de dar, como presente, ovos de galinha, no início da primavera. Com o tempo passou a decorá-lo, chegando assim até os nossos dias.

Outro símbolo de vida é o coelho, já desde tempos antigos. Um dos motivos que o liga à vida é a facilidade com que se procria. A relação do coelho com a páscoa seria fruto da tradição alemã. Enquanto o "ovo da páscoa" é muito comum em todo o mundo, o "coelhinho da páscoa" não é tão conhecido no resto do mundo. Desta forma, o sentido desses dois símbolos em relação à Páscoa deve ser buscado na expressão de vida que eles contêm em si e a celebração nada mais é do que a celebração da vida.