Fatal

Operário morre soterrado em obra na Avenida Brasil

Outro trabalhador teve ferimentos leves e foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros; Prefeitura afirma que construção estava embargada

ROBERTO KAWASAKI - Da Reportagem Local • 11/10/2018 13:25:00

Foto: Roberto Kawasaki - Polícia Civil deve apurar as circunstâncias do acidente, registrado nesta manhã, no centro

Em Presidente Prudente, um homem de 32 anos morreu soterrado quando parte da obra em que trabalhava desabou sobre ele e mais um operário. O acidente ocorreu por volta de 9h30 de hoje, em uma construção localizada na Avenida Brasil, no centro da cidade. O trânsito no local precisou ser parcialmente interditado no sentido bairro-centro, mas foi liberado no final da manhã.

De acordo com o tenente do Corpo de Bombeiros, Lucas Kusonoki, quando a equipe chegou para atender a ocorrência, havia uma vítima soterrada parcialmente da cintura para baixo, e outra, conforme apurado com as testemunhas, soterrado por completo. “Os trabalhadores disseram que o fato ocorreu após o desbarrancamento do muro de uma loja vizinha. Nas proximidades do acidente, havia uma máquina retroescavadeira que era utilizada para fazer buracos no solo”, afirma a autoridade.

Com a chegada da guarnição, as vítimas foram socorridas e atendidas pela unidade de resgate ainda no local. “O rapaz que ficou parcialmente soterrado apresentou apenas ferimentos de natureza leve, no entanto, o outro operário foi socorrido com parada cardiorrespiratória. Fizemos a reanimação cardiopulmonar, também foi ministrado oxigênio e o encaminhamos para atendimento médico na santa casa”, relata o tenente.

Por telefone, a Assessoria de Imprensa da Santa Casa de Misericórdia de Presidente Prudente informa que a vítima chegou com parada cardiorrespiratória e não resistiu aos ferimentos, sendo o estado grave evoluído a óbito. A Polícia Civil deve apurar as circunstâncias do ocorrido.

Obra embargada

O governo de Presidente Prudente, por meio da Seplan (Secretaria Municipal de Planejamento), afirma que a obra em questão já havia sido embargada pela Prefeitura por não ter projeto aprovado pela pasta. “O proprietário da construção foi notificado do embargo no último dia 5 de outubro, portanto, não tinha autorização para continuar com os trabalhos no local”. A equipe de Defesa Civil está no local para avaliar a estrutura da obra, bem como do prédio vizinho, onde funciona uma loja de cortinas.

 

 

 

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste