Cedida - Nadador ganhou três medalhas de prata no último sábado

Foto: Cedida - Nadador ganhou três medalhas de prata no último sábado

DE BRAÇADA

Olavo Paes inspira ao falar do amor ao esporte

Em um bate-papo agradável com o atleta, ele expôs o gostinho das três medalhas de prata conquistadas no final da semana passada no Campeonato Paulista

  • 11/07/2019 07:36
  • OSLAINE SILVA - Da Redação

É inspiradora a maneira como o nadador Olavo Paes, 48 anos, fala da natação em sua vida. Ele começou a entrar de braçada nas piscinas ainda um garotinho, aos 8 aninhos de idade. Aos 16, por conta de outras prioridades, ele precisou parar de praticar a modalidade esportiva. E, felizmente, há cinco anos retornou com mais vontade ainda.  

Em um bate-papo agradável com o atleta, ele expôs à reportagem que o gostinho das três medalhas de prata conquistadas no final da semana passada, no dia 6, no Campeonato Paulista Master de Natação de Inverno, em Santos (SP), nas provas de 50 e 100 metros costas e 50 borboleta tem um tempero mais que especial.

Segundo Olavo, ele treina bastante, principalmente porque o nível dos competidores está bem forte. “Estou com 48 anos, ter que se regrar de novo, como dormir cedo, se alimentar na hora certa, deixar alguns vícios de lado, requer determinação. Isso é muito legal e recompensador, principalmente porque estou em uma fase em que a natação está sendo a melhor coisa da minha vida. Não estou abdicando de nada, mas dando outro rumo para a minha vida através da natação. Eu sempre falo que ela retornou numa hora boa, em que estou mais tranquilo. Um momento realmente muito bom da minha vida!”, exclama Olavo, feliz porque até conseguiu trazer alguns amigos antigos para a modalidade esportiva, formando, inclusive, o grupo de nadadores da Apea dos anos 1980.

Realmente é inspirador ouvi-lo falar desse amor pelo esporte. Ele treina cinco vezes por semana, em torno de uma hora e meia por dia, aproximadamente 3,5 mil metros diários, no TCPP (Tênis Clube de Presidente Prudente). “Se parar para pensar a natação não é um esporte fácil, no sentido de que faça frio ou calor, sol ou chuva, e você se joga e tem que superar todas as dificuldades. Não existe o contato como o esporte coletivo, por exemplo. Eu costumo dizer que chego para treinar, às 8h, e a sensação que eu tenho é que reorganizo toda a minha vida inteira ali dentro da piscina! A minha disposição quando saio da água é outra. A natação permite isso. As noites de sono são diferentes. A alimentação é outra. A qualidade de vida é muito melhor. Ou seja, a natação te regra naturalmente!”, relata