Meninas Digitais

Oficina busca ampliar presença feminina no universo da tecnologia

Atividade de introdução à lógica de programação, iniciada hoje na Inova Prudente, atraiu 13 crianças entre 8 e 11 anos, e continua nos dias 12, 17 e 19

Da Redação • 10/07/2018 18:25:21

Nos 4 encontros, participantes vão aprender a lógica antes da programação; 90% das aulas são práticas. Foto: Cedida/Guilherme Santana

O público masculino é predominante no universo da tecnologia. Mas na Fundação Inova Prudente, o cenário agora é o oposto daquele visto em universidades e no mercado de trabalho. Isso porque, teve início hoje, no local, a oficina Meninas Digitais – introdução à lógica de programação, pensando justamente, em reverter este quadro. A iniciativa, cujo próprio nome deixa claro que é exclusiva a meninas, atraiu 13 crianças entre 8 e 11 anos.

Embora a sala seja dominada pelas meninas nos quatro dias da atividade - que continua na quinta-feira e nos dias 17 e 19, sempre das 14h às 16h30 -, teve um pai que fez questão de acompanhar de perto o início da oficina.

O pai da aluna Aline Saori Sato, Adriano Ferreira Sato, 36 anos, já trabalha na área. Ele, que é técnico em internet, fez questão de incentivar a filha a participar da oficina. Conta que em casa, ela passa muito tempo no tablet ou no celular, e que a intenção é fazê-la aprender mais sobre programação. “Hoje, a tecnologia está dominando o mercado. Dessa forma, o quanto antes as crianças tiverem acesso ao aprendizado, será mais fácil no futuro, no mercado de trabalho, no dia-a-dia”, pontua.

Seguindo a mesma linha de raciocínio, a facilitadora da oficina, a tecnóloga Maria Angélica Cardoso Martins Isique, afirma que o quanto antes aprenderem é melhor, “como aprender a ler, escrever, a língua portuguesa”. “A intenção é que elas comecem a entender a linguagem do computador, pois tudo que vai mexer hoje tem algo atrelado à tecnologia. Então por que não aprender essa linguagem? Vamos começar com lógica e depois iniciaremos essa linguagem”, comenta.

A intenção é que elas comecem a entender a linguagem do computador, pois tudo que vai mexer hoje tem algo atrelado à tecnologia. Então por que não aprender essa linguagem

Maria Angélica Cardoso Martins Isique

tecnóloga

Maria Angélica ressalta ainda que 90% das aulas serão práticas, com vários jogos, para que as meninas entendam as funções, a ludicidade. “Nos quatro encontros, vão aprender a lógica antes da programação. Verão que antes de fazer algo, terão que pensar. Aprenderão direções, vamos reforçar norte, sul, leste, oeste, esquerda e direita, ângulos, enfim. Entenderão que quando tiverem atividades repetidas, não precisarão inserir várias vezes o mesmo comando, será um só para ter a repetição”, detalha.

O diretor-presidente da Inova Prudente, Bruno Garcia Carnelóss, que deu as boas-vindas às meninas, acredita que a procura por parte do público feminino pelo mundo tecnológico segue uma crescente. Assim, ele diz que a oficina é para que essa tendência tenha sequência.

“Ainda nos bancos da faculdade, nas áreas de informática e tecnologia, encontramos mais homens, porém, vimos uma procura cada vez maior do público feminino. Para ajudar essa tendência ser crescente, vimos a oportunidade de, uma forma lúdica, introduzir as meninas ao mundo da programação, resolvendo problemas com desenhos animados que estão acostumadas ao dia-a-dia”, afirma. No primeiro momento, ele lembra que decidiram por ser exclusivo a meninas para conseguirem alcançar esse público e atraí-lo cada vez mais. “Em breve, devemos promover algo aberto para todos”, conclui.

Com Secretaria Municipal de Comunicação

 

 

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste