Possível solução

Obras no Morada do Sol devem começar em 90 dias

Prefeitura esteve no bairro para analisar reclamações e medidas que podem amenizar os prejuízos causados pelas fortes chuvas

Arquivo - Paula aponta para as marcas do nível que a água atingiu na chuva do último fim de semana Arquivo - Paula aponta para as marcas do nível que a água atingiu na chuva do último fim de semana

O secretário municipal de Obras e Serviços Públicos, Rodnei Rena Rodrigues, esteve ontem no bairro Morada do Sol, em Presidente Prudente, para verificar in loco as reclamações dos moradores e ver as condições em que se encontram as bocas de lobo do bairro e que podem ter contribuído para os estragos causados pelas fortes chuvas do fim de semana. Conforme a Prefeitura, obras de melhorias já estão previstas para ocorrer em aproximadamente 90 dias.

A reportagem esteve novamente no bairro para conferir como estava a situação das casas prejudicadas no último sábado e conversou com Paula Cristina da Silva. Caso não se lembre ou não tenha lido a edição de domingo, Paula mora na Rua Silvio de Alencar Milano e foi uma das vítimas do temporal. Na ocasião, ela disse que precisou colocar a filha em cima da mesa durante a invasão da enxurrada, com medo de que chovesse novamente e fossem surpreendidas enquanto dormiam. Na conversa com a reportagem, ela afirmou que não era a primeira vez que problemas surgiam no bairro por causa do clima e lembrou que desde 2016 procura a Prefeitura, mas “nada é feito”.

“Após a visita de vocês [O Imparcial], a água entrou novamente em casa e também na dos vizinhos. Até hoje de manhã [terça] nada havia sido feito ou falado por parte da Prefeitura, então, fui até o Parque de Obras e solicitei uma visita, pois não podemos ficar desamparados e desesperados”, comenta Paula. Ainda conforme a moradora, a Assistência Social do município foi procurada para prestar auxílio, mas ela foi informada de que as tratativas devem ocorrem com a administração. “Fica nesse empurra para lá e empurra para cá. Ficamos indignados, pois pagamos nossos impostos e não conseguimos ficar tranquilos ao ver o tempo de chuva se formando”.

Paula afirma ainda que foi orientada a fazer pequenas reformas em casa, que podem ajudar, mas que isso não seria possível por causa da estrutura do próprio bairro, que não auxilia quando chuvas fortes caem no município, pela falta de bocas de lobo na rua. Justamente por causa da estrutura local, o secretário de Obras e Serviços Públicos esteve pessoalmente ontem no Morada do Sol, analisou a estrutura in loco e estudou medidas que podem ser tomadas. “É importante lembrar que a Prefeitura já adquiriu novos tubos para a ampliação das galerias de águas de pluviais, de forma a dar conta da vazão em dias de fortes chuvas. As obras devem ocorrer em até 90 dias”, acrescenta a Prefeitura.

A Defesa Civil foi procurada pela reportagem, que por telefone informou ter duas casas parcialmente interditadas no bairro, mas afirmou que confirmaria a informação via e-mail e traria demais detalhes sobre as vistorias. O retorno, no entanto, não chegou até o fechamento desta matéria.