José Reis - Usina Cocal, em Narandiba, será responsável pela produção

Foto: José Reis - Usina Cocal, em Narandiba, será responsável pela produção

BIOMETANO

Obra para distribuição de biogás tem previsão de início em agosto

Região será pioneira na entrega do biocombustível, pela Usina Cocal, em Narandiba; capacidade de produção chega a 10 milhões de metros cúbicos por dia

  • 12/05/2019 04:00
  • THIAGO MORELLO - Da Redação

Considerada pelo setor o “pré-sal do oeste paulista”, pela capacidade de produção que pode chegar a 10 milhões de metros cúbicos por dia, a região se tornará em breve a primeira na distribuição de biometano no país, como noticiado por esse diário na última semana. Responsáveis pelo efetivo, as empresas GasBrasiliano e a Usina Cocal estimam que as obras relativas as tubulações, para que seja possível a entrega do biogás, sejam iniciadas em agosto desse ano.

Com prazo para conclusão também estimado em um ano, o que quer dizer que no segundo semestre de 2020 é quando a entrega efetiva das tubulações deve ocorrer. Isso porque, como dito anteriormente, as cidades que vão receber o biogás são Pirapozinho e Presidente Prudente, beneficiando cerca de 230 mil usuários.

Desta forma, a Usina Cocal, que tem sede em Narandiba - a qual será responsável pela distribuição -, explica como será o trajeto percorrido pela tubulação, até chegar aos municípios de destino: o trajeto do gasoduto “saíra da planta, passará pela rodovia municipal até Narandiba. Depois seguirá pela rodovia municipal de Narandiba até Pirapozinho. Em seguida, sairá por outra municipal até Presidente Prudente”. Ao ser questionada sobre quais seriam as rodovias, a empresa não deu detalhes.

Sendo assim, destaca ainda que não será necessário proceder com a desapropriação de terras nos locais por onde o efetivo passar, “já que a tubulação acompanhará as rodovias municipais”. Ao passo que afirma não haver necessidade de abrir licitação para a execução do projeto.

Comercialização

A GasBrasiliano, que cuidará da comercialização do combustível, explica que não se faz necessário ter uma sede nas cidades citadas para que a venda do biogás. À reportagem, a Assessoria de Imprensa detalha que uma equipe técnica em cada localidade cuidará dos procedimentos, diretamente com os possíveis usuários, como por exemplo, contratação e cobrança.

Questões de valores também não foram definidas pela empresa, que aponta ser “muito cedo” para que haja uma conversa sobre isso. “É preciso esperar o andamento e evolução do projeto”, destaca. Da mesma forma, lembra que algumas questões técnicas seguem em definição, como a chegada do gasoduto das tubulações até cada residência.

Biometano

Como noticiado por O Imparcial, a ANP (Agência Nacional do Petróleo) detalha que o biometano é um biocombustível gasoso obtido a partir do processamento do biogás. Por sua vez, o biogás é originário da digestão anaeróbica de material orgânico - decomposição por ação das bactérias, composto principalmente de metano e dióxido de carbono. “É produzido a partir de produtos e resíduos orgânicos agrossilvopastoris, resíduos agrícolas, estercos animais, esgoto doméstico e resíduos sólidos urbanos”.

NÚMEROS

230 mil
Número estimado de usuários beneficiados inicialmente
10 mi m³
capacidade que a produção pode chegar nos municípios
1 ano
Tempo em que as obras devem durar após o início