O Grisalhão

  • 15/09/2019 08:20
  • Persio Isaac

Toca o celular:

- Alô, onde você está? Vem aqui no Ibiza.

- Não, estou indo no Padoca.

- Fazer o que lá? Vamos lá no Ibiza!  Tá fervendo de mulher.

- Ah, lá vem você com essa conversa.

- Aliás que gelada que você me meteu ontem na festa de aniversário do Tênis Clube.

- Gelada?

- Pô a mulher que você me arrumou pra sair, ficou mais preocupada com o filho de 11anos; só olhava o relógio. O pior que ela desandou a chorar se culpando, depois chegou um cara baixinho e não saiu da mesa.

- Se tá brincando.

- Juro.

- Putz! Conheço o Alfredinho.

- Que Alfredinho?

-Ué o baixinho, ele é...

- Larga de ser tosco, não se usa mais essa palavra nos dias de hoje. Vão de chamar de homofóbico. Ele é gay?

- Verdade! É amigo dela.

- Você não me disse que ela tinha acabado de se separar, só falou do marido

- Ué que estranho, quando falei de você e mostrei sua foto no celular ela disse:

- Hum um “Grisalhão”.

- Ela me chamou de Grisalhão?

- Mulher gosta de homens de cabelos grisalhos, inspira sabedoria, calma, tranquilidade, experiência.

- Tudo bem, mas Grisalhão é demais né. Você sumiu na festa, aonde você foi?

- Ah eu estava com a Gisele que adora fumar e beber. Eu gosto de dançar, ela não gosta.

- Errou na escolha de novo?

- Ah tudo bem. Ela ficou fumando e bebendo e eu fui pra pista dançar. Tinha muita mulher sozinha.

- E dai?

- Daí, peguei uma coroa que dança pra caramba, numa carência braba.

- E...

- Tive que dar uma borrachada, preguei o reio nela.

- Oh Cavalo, pelo amor de Deus! Você virou borracheiro e peão de rodeio ao mesmo tempo. Que falta de classe.

- Lá vem você com o politicamente correto.

- Não é isso:

- Fala que teve uma transa sensual, fica mais poético, mais romântico.

- Deixo a poesia pra você, a minha linhagem e a minha linguagem é outra.

- Cê tá onde?

- Já estou no Parque do Povo.

- Tá bom, a gente se encontra no Padoca.

O Grisalhão encosta sua caminhonete, desce e já encontra o Cavalo. Se cumprimentam com um abraço, entram e dão um alô para a Karina, dona do Padoca.

A funcionária já conhece os dois e vem atendê-los:

- Já querem pedir?

- Sim. Me dá um chá de camomila com pau de canela e aniz estrelado.

- Oh Grisalhão por acaso você está desenganado? Tá em algum asilo?

- Porque? Mas que pedido de velho é esse?

- Ué, amanhã tenho que levantar cedo, o batente vai ser pesado, o stress foi grande ontem na festa, fiquei bebendo sozinho.

- Sozinho? Com um monte de mulher dando sopa.

- Estou ficando muito seletivo.

- Aposto que deu uma de Padre né?!

- Não me sacaneia!

- Tudo bem, eu entendo, mas não precisa exagerar pedindo chá de camomila, é demais pra minha filosofia de vida.

- Que filosofia? Você só pensa em sexo. E o seu casamento como que anda?

- Não vem dar uma de moralista comigo, casamento é uma coisa e sexo é outra coisa. A Manuela já acostumou comigo.

- Cavalo não cresce não!!! Pode ter algum sapato de pano rondando.

- Para com isso, a Manuela gosta de ir na missa e ficar pedindo a Deus saúde e paz.

- Mas ficar só rezando não ganha jogo, você sabe disso.

- Lógico que sei, não deixo ela passar vontade não, eu prego o reio nela toda a semana.

- PQP mas que linguajar chulo, sua canalhice não tem limites mesmo.

- De maneira alguma, sou o que sou!!!!

- É o que?!

- Oh Grisalhão relaxa a vida pra mim é feita de momentos, a noite sempre será uma criança.

- Lá vem você com essas frases de para- choque de caminhão. Cavalo acho que você é doente mental.

-Acabei de fazer todos os exames e estou zero bala.

- Não é disso que estou falando.

- É o que então? Se você canalizasse toda a sua energia pra ganhar dinheiro seria um bilionário, mas fica o dia inteiro no Whatsapp atrás de mulher.

- Que doente, eu gosto da padiola, vou fazer o que? Nenhuma reclamou até agora.

- Também só pega mulher super carente. Você na realidade deveria ser canonizado pelo Diabo.

- Cruz Credo, Grisalhão, vira essa boca pra lá.

- É verdade. Quantas vezes você pega mulher que ninguém quer? Pode ser velha, gorda, magra, casada, viúva, separada, mal amada e lá está você pronto pra fazer a caridade do pecado.

- Você sabe que você me emocionou com essa frase: “Caridade com o pecado”. Achei poética. Viu Grisalhão como gosto de poesia.

- Para de me chamar de Grisalhão! Só porque a chorona falou e você já quer me sacanear com essa parada.

-Mas que é gozado esse nome é, não é?

- Você não vai comer nada?

- Me dá um café com leite com pão com manteiga.

- Que foi?

- Depois eu que estou no asilo.

Ué? Companheiro é companheiro né. Grisalhão me diz uma coisa com sinceridade.

- Nunca menti pra você.

- Encheu o meu saco dizendo que só penso em sexo.

-E daí?

- Queria saber qual é a sua?

Eu gosto de romances, bater papo, andar de mãos dadas, olhos nos olhos, entende? Se o sexo vier, que venha num encontro de almas.

- Sabe que eu acho?

- O que você acha?

-Você deveria achar uma máquina do tempo e voltar para os anos 60, hoje o carinho é ¨pregᨠo reio nelas!!!!! VEJAM VOCÊS.

Persio Isaac

Persio Isaac

Persio Melem Isaac, empresário e cronista aos domingos em O Imparcial. Contato: persiomisaac@gmail.com

PUBLICIDADE