Namoro é tempo de conhecimento e não deve ser banalizado

  • 11/06/2019 04:00

O amor está no ar. No comércio, vitrines ganham as cores vermelhas como sinal de um dos sentimentos mais nobre que existe. Corações estampam propagandas de diversos estabelecimentos e promoções chamam a atenção de quem quer prestigiar o seu namorado (a). Aproxima-se a data mais romântica do ano: 12 de junho, dia dos namorados!

Restaurantes fazem cardápios especiais. Floriculturas “racham” de vender os conhecidos buquês de flores, cestas de café da manhã. Muitos locais lançam o presente dobrado, como as empresas de telefonia móvel: “compre um e ganhe desconto no outro”. Resorts, motéis, tantos lugares buscam “lucrar” com os namorados. E, não estão errados. É um dia especial para os casais apaixonados, que merece ser comemorado.

Porém, hoje em dia, o que se vê – na maioria dos casos – é a banalização do namoro, do sentimento que envolve o relacionamento, da importância do período de conhecer a pessoa antes do próximo passo de qualquer casal: o casamento. O que se depara, atualmente, são casais completamente sem objetivos, sem realmente conhecer o conceito fundamental do amor, que envolve respeito, admiração, companheirismo, diálogo, união.

O período do namoro é fundamental para se ter a certeza de que aquela é a pessoa que vai desfrutar da sua companhia pro resto da vida! “Todo matrimônio é a continuação de um namoro; então, tudo precisa começar bem desde cedo. Sem levar a sério o namoro não será possível construir um casamento sólido e uma família forte”, já disse o professor Felipe Aquino. É com esse pensamento que o namoro deve existir. “O namoro é o tempo do conhecimento entre duas pessoas que buscam algo mais do que a amizade, e querem construir uma vida em comum. É, portanto, o tempo da escolha; e esta escolha deve ser feita de maneira adequada”, completa. Tenha um namoro saudável!