José Reis - Cronograma de obras acabou afetado, após pedido de interrupção pela concessionária

Foto: José Reis - Cronograma de obras acabou afetado, após pedido de interrupção pela concessionária

REVITALIZAÇÃO

Muros serão demolidos após colocação de grades

Informação partiu do secretário Abel Brondi, após tratativas com a Rumo/ALL, que tomaria “medidas cabíveis” caso obras invadissem a faixa de domínio

  • 15/05/2019 07:30
  • THIAGO MORELLO - Da Redação

No final do mês passado, a Rumo/ALL (América Latina Logística) informou que, caso a Prefeitura de Presidente Prudente desse sequência às obras de intervenção urbana na faixa de domínio da ferrovia, tomará “medidas cabíveis” em relação ao caso. Isso porque, de acordo com a empresa, a administração municipal não tem autorização para executar os serviços propostos para as imediações da linha férrea, onde está localizado o Shopping Popular, o camelódromo. Na segunda-feira, após reuniões, o secretário da Seplan (Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Urbano e Habitação), Luiz Abel Gomes Brondi, afirma que os muros que separam o local da ferrovia só serão removidos após colocação de grades.

Naquela ocasião, como explicado por esse diário, a Rumo explicou que a permissão concedida ao município dizia respeito somente à construção de uma ciclovia, já que a execução de alguns dos outros empreendimentos não atende às normas regulamentares da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). “Conforme determina a NBR [Norma Técnica Brasileira] 15.680, é proibida a construção de passagem em nível dentro de pátios ferroviários”, expos na época.

Dessa forma, o titular da pasta argumenta que o problema, conforme “a medida de segurança da empresa” seria ter um espaço, uma passagem. “Sendo assim, acabamos dando continuidade ao processo, mas sem retirar os muros, que seria para agilizar a limpeza da demolição. Agora, vamos seguir com a implantação de grades. Colocar primeiro, para depois pode retirar”, pontua.

À reportagem, a concessionária informa que realizou recentemente reuniões com administração municipal e que a Prefeitura está ciente sobre as condições de execução da obra nas proximidades da linha férrea. “Conforme já informado, a autorização concedida pela empresa diz respeito somente à construção de uma ciclovia. A execução dos outros serviços não é permitida conforme a NBR 15680, que proíbe a construção de passagem em nível dentro de pátios ferroviários”, finaliza.

Interrupção

Como mencionado pelo titular da Sedepp (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico), Carlos Alberto da Silva Corrêa, Carlos Casagrande, quando houve o pedido de interrupção, o cronograma das obras no local foi afetado. De acordo com ele, o atraso ficou entre quatro e cinco dias.