Munícipes pedem fim de obras na Praça Itaipu

Sosp aguarda fim da construção de uma rotatória no local para retornar e solucionar o problema; reforma está parada desde 2012

BEATRIZ DUARTE • 01/03/2018 13:40:53

. Foto: José Reis, Parquinho, um pedido antigo da população, está abandonado

Os moradores do bairro Jardim Itaipu de Presidente Prudente pedem pela conclusão das obras de revitalização da praça localizada ao lado da Ceforppe (Centro de Formação dos Profissionais da Educação), que perdura desde 2012. Em nota, a Prefeitura informou que a Sosp (Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos) aguarda a finalização de uma rotatória que está sendo construída no mesmo local, para melhorar a fluidez do trânsito e facilitar o acesso ao bairro. Com o término, as equipes voltarão para solucionarem as irregularidades.

De acordo com Maria do Carmo Arantes, 62 anos, do lar, o Executivo prometeu para a praça, a implantação de mesas e bancos de cimento, parquinho para as crianças, campo de areia, iluminação e a instalação de uma ATI (Academia da Terceira Idade). Já a realidade compõe um espaço com mato alto, alambrados cortados e uma pista de caminhada fechada. Na busca por uma solução, ela conta que liga três vezes ao dia no departamento de Obras, onde vários responsáveis informam que na próxima semana o problema será resolvido. “Uma situação de total descaso, é como se nós não pagássemos impostos. Eu pago minhas contas em dia e não observo nenhum retorno”. Ela ressalta que a luta por melhorias ocorre porque o bairro é, em maioria, formado por idosos e crianças, que necessitam do espaço.

O aposentado, José Vieira Priosti, 64 anos, diz que reside próximo à praça há um ano e, quando se mudou, o espaço estava em estado deplorável, com mato cerrado e equipamentos, como balanços, quebrados e sem nenhuma segurança. Após a constante insistência, a Prefeitura veio até o local iniciar o processo de revitalização. Encarregado por cuidar do espaço desde que se mudou, todos os dias ele recolhe o lixo, poda as árvores, carpe o mato e planta flores junto com a sua mãe. “Eu não tenho a obrigação de fazer nada disso, mas até prefiro porque eu gosto das coisas limpas e organizadas, e com isso posso fornecer um espaço adequado para minha neta e as outras crianças brincarem”. Outros moradores também ajudam com a manutenção da praça. Segundo José, um vizinho chateado com a condição dos quatro bancos instalados realizou a pintura de todos eles.

Residente no bairro há sete anos, o carroceiro, Antônio Raimundo Silva, 72 anos, conta que quando chegou no logradouro, a situação não era assim, mas a falta de cuidados fez a praça se deteriorar com o tempo. “A praça é o lugar central do bairro, aqui os idosos podem fazer caminhadas e exercícios, onde as pessoas se reúnem”. Há um mês, a Prefeitura esteve no local para realizar a aparagem da grama, e realizou o corte de duas árvores que forneciam sombra aos transeuntes. “Temos sinal de wifi, mas não temos bancos e mesas para sentar, e agora nem uma sombra fresca para descansar”.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste