Arquivo - Medidor com escala é utilizado em fiscalizações que ocorrem durante o inverno

Foto: Arquivo - Medidor com escala é utilizado em fiscalizações que ocorrem durante o inverno

FISCALIZAÇÃO

Multas por fumaça preta em veículos a diesel caem 59,74% na região de PP

Em 2017, número de autuações foi de 467, número maior que o registro de 2018, quando foram emitidas 188 multas; conscientização pode ser resultado do índice

  • 10/03/2019 09:23
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

A fumaça preta emitida por veículos a diesel, além de ser prejudicial ao meio ambiente, pode causar incômodos e problemas respiratórios nos seres humanos. Constantemente, a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) notifica aos motoristas infratores para que consertem as bombas veiculares, a fim de reduzir a emissão do poluente. Dados divulgados pela companhia nos 31 municípios de abrangência da região de Presidente Prudente indicam que o número de autuações emitidas entre 2017 e 2018 caiu 59,74%. No primeiro ano, houve 467 registros de infrações, quantidade maior que no ano passado, quando foram 188.

Para o técnico da Cetesb, Geraldo do Amaral Filho, a redução no número de multas aplicadas pode surgir de diversos fatores, mas acredita que o reflexo mais significativo tenha sido devido a conscientização dos motoristas, quanto à emissão da fumaça preta por veículo à diesel. “Quando o condutor entende os malefícios causados pela fumaça e passa a regularizar as condições da bomba injetora dos caminhões e caminhonetes, a tendência é reduzir”, pontua o profissional. Segundo ele, “a fumaça surge quando a bomba injetora do veículo está mal colocada, o que resulta na queima incompleta do combustível. Desta forma, ela sai para a atmosfera em forma de carvão e causa os prejuízos à saúde da população”. 

O inverno é o período em que a Cetesb, em parceria com a Secretaria de Estado do Meio Ambiente, desenvolve a Operação Fumaça Preta, época propícia para a fiscalização e, sobretudo, para conscientização ambiental, já que as chuvas começam a diminuir e as condições meteorológicas se tornam desfavoráveis à dispersão dos poluentes atmosféricos. “Os motoristas são parados, e recebem orientações, com o objetivo de coibir a emissão da fumaça preta”, afirma Geraldo. Ainda não há datas de operações para este ano, mas o técnico acredita que elas devam ocorrer em meados de julho a agosto.

Cartão medidor

Segundo a norma vigente, a pessoa que for flagrada pela fiscalização com o veículo poluindo o meio ambiente receberá multa de 60 Ufesps (Unidades Fiscais do Estado de São Paulo), equivalente a R$ 1.591,80. Caso o autuado for reincidente dentro do período de 90 dias, o valor da multa pode ser dobrado. Na fiscalização, o efetivo da companhia conta com um cartão que mede o índice de fumaça por meio de cores que vão escurecendo na escala de 1 a 5. Entre 1 e 2 o índice é tolerável, acima desse valor, o motorista será notificado. “A ideia não e penalizar, mas corrigir”, salienta Geraldo.

Saiba mais

As denúncias sobre emissão de fumaça preta à Cetesb podem ser feitas pelo telefone 3223-5001. É importante ter anotado o número da placa do veículo, para que seja facilitada a localização do possível infrator. Depois de efetuada a denúncia, a demanda será recolhida e uma carta com notificação encaminhada ao endereço da pessoa, informando sobre a irregularidade, para que possa consertar o problema. O técnico da companhia explica que não haverá autuação, a não ser que ao condutor seja flagrado irregular.