Arquivo - Epidemiológica retomará bloqueio e nebulização no Alvorada

Foto: Arquivo - Epidemiológica retomará bloqueio e nebulização no Alvorada

AGUARDO DE LAUDO

Mulher morre com suspeita de dengue em Prudente

Atestado de óbito da vítima consta que vírus pode ter sido uma das causas, o que depende de confirmação; cidade contabiliza 641 catalogações positivas

  • 08/05/2019 04:00
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

A dengue está entre as possíveis complicações que resultaram na morte de uma mulher de 49 anos na madrugada de ontem, em Presidente Prudente. A moradora do Parque Alvorada teria recebido atendimentos médicos no município, quando apresentou piora no estado de saúde e o quadro clínico evoluiu a óbito enquanto esteve na Santa Casa de Misericórdia da cidade. De acordo com a VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal), o caso ainda é tratado como suspeita e que, oficialmente, o órgão não pode afirmar a real causa da morte. No entanto, a causa foi apontada, dentre outras, no atestado de óbito da vítima.

Por meio de nota, a santa casa afirmou que o corpo foi encaminhado ao SVO (Serviço de Verificação de Óbito). “A Santa Casa de Presidente Prudente informa que os casos suspeitos de dengue são direcionados para a Vigilância Epidemiológica do município, que é responsável pela confirmação diagnóstica”, salienta o hospital.

Apesar da não confirmação, é importante que a comunidade mantenha a atenção. Em balanço divulgado ontem, foram constatados mais 237 casos de dengue em Prudente, o que totaliza 641 catalogações positivas apenas neste ano.  Do total, 625 são autóctones, ou seja, contraídas no município, e outras 16 importadas, vindas de outras localidades. A pasta informa ainda que há outras 2.560 notificações.

Uma vez que a morte suspeita ocorreu com uma moradora do Parque Alvorada, a Epidemiológica afirma que retomará o serviço de bloqueio e nebulização no bairro ainda nesta semana. O crescente número de casos está preocupando os agentes de saúde que analisaram que circulam em Prudente os tipos 1 e o 2 da dengue. De acordo com Elaine Bertacco, supervisora da VEM, o tipo 2 circulou no município em 2010, quando foram registradas 296 catalogações.

Intervenções

“Em Prudente, temos mais de 220 mil habitantes, além da população flutuante, ou seja, muita gente exposta a contrair o tipo 2. Quando a pessoa contrai um sorotipo da dengue, ela fica imune a ele, mas ele a torna mais suscetível a contrair outros tipos, o que tem acontecido. Isso aumenta a gravidade, pois a predominância sempre foi o tipo 1, o único que circulou no ano passado, quando registramos 40 casos”, detalha.

A supervisora explica que o governo municipal articula intervenções com as ESFs (Estratégias de Saúde da Família), sendo mais de 100 agentes de saúde da família. Entretanto, ressalta que a colaboração da população para redução da infestação é de extrema importância. “Os casos começam a estagnar em junho, no inverno, mas temos que fazer intervenções agora para que a partir de setembro, com o início da primavera, os índices não voltem a saltar”, conclui.