Mudanças devem alavancar setor

SANDRA PRATA - Especial para O Imparcial • 13/05/2018 07:52:43

. Foto: Arquivo, Alberico: “Condomínios fechados são mais difíceis de vender”

Apesar do atual mercado imobiliário em constante expansão em Presidente Prudente, não foi sempre assim. A cidade do centenário já passou por momentos de crise econômica, assim como todo o país, conforme pontua o delegado regional do Creci (Conselho Regional de Corretores de Imóveis), Alberico Pasqualini. De acordo com ele, as incertezas políticas do governo federal também auxiliam na repreensão da economia e isso reflete diretamente na demanda e vendas de imóveis.

“Temos condomínios fechados os chamados de auto luxo, que têm maior dificuldade para colocação no mercado, devido ao valor que não condiz com a atual realidade financeira do consumidor, ao passo que empreendimentos mais populares têm uma aceitação maior com parcelamentos que cabem no bolso”, frisa Alberico.

Ele ressalva que, devido a isso, a demanda para condomínios está momentaneamente baixa, todavia, esse problema não existe quando se trata dos loteamentos mais em conta. “Todo terreno tem 100% de valorização ao longo de dez anos, nenhum país mantém uma economia linear por dez anos, sempre passa por crises nesse período”. Conforme ele, o constante aumento populacional do município faz com que a venda de lotes mais populares não seja afetada.

 “Têm casamentos todo fim de semana, novas famílias todo mês, é aquele ditado: quem casa quer casa, nunca foi tão atual essa frase”. Conforme o delegado, loteamentos lançados no começo do ano já possuem casa com moradores no fim do mesmo. “Isso é positivo para Prudente, porque não acontece em outras cidades”, relata.

 

O que esperar?

Alberico acredita que, por se tratar de ano de eleições presidenciais, a mudança no atual cenário político vai impactar direta e positivamente o setor imobiliário. “Nossa visão é otimista, esperamos que haja uma melhora da demanda e da economia”, finaliza.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste