Baixa imunidade

Mudança climática faz crescer risco de doenças

JANAÍNA TAVARES - Especial para O Imparcial • 12/04/2018 09:26:27

Foto: André: 'Lavar mãos pode ajudar na prevenção das infecções'

Neste outono, as temperaturas mínimas poderão chegar a 12ºC em Presidente Prudente, enquanto a previsão climática para o inverno pode atingir a mínima dos 6º C, de acordo com o Centro de Meteorologia da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista).  Essas constantes oscilações de tempo, naturais da estação, têm contribuído para o desenvolvimento da baixa imunidade dos prudentinos, influenciando no surgimento de algumas infecções.

Além das variações climáticas, o corpo humano também sofre com essas mudanças e as infecções que podem aparecer a qualquer momento, conforme o médico infectologista André Luiz Pirajá da Silva, 40 anos. Ele destaca que qualquer pessoa pode estar sujeita às infecções mais comuns desta época, que são sinusite, resfriados, gripes e conjuntivite. “Com o ar mais seco, a formação de germes no ar aumenta e a produção de substâncias que protegem o corpo diminui”, explica.

Conforme o meteorologista Vagner Camarini, 59 anos, o outono é a estação de transição para o inverno, por isso a frente fria fica mais intensa, principalmente durante o período da manhã. “À tarde, a sensação é de 33º C atualmente, porém, a população deve sentir os 18º C nestes dias pela manhã”, aponta.

Devido a isto, as infecções geralmente aparecerem no outono, entretanto, os níveis de pessoas infectadas podem aumentar no período do inverno, sendo importante a prevenção, de acordo com o médico infectologista. Ele ressalta ainda que, em casos mais graves, a pessoa pode adquirir pneumonia, doença que afeta os pulmões, causando febre alta e falta de ar.

 

Cuidados

Segundo o Centro de Meteorologia da Unoeste, no dia 21 de junho as temperaturas começam a ficar mais baixas, sendo assim a prevenção e tratamento precisam ser redobrados. Para isso, o infectologista orienta que cuidados básicos podem ajudar. “Atitudes simples como lavar as mãos com sabonete, passar álcool em gel, evitar lugares com muito pó ou locais aglomerados já podem resolver bastante”, fala.

Mas avisa que esses cuidados precisam ser contínuos e não se restringindo apenas quando as temperaturas climáticas mudam. “Quem já sofre com doenças como a sinusite, por exemplo, deve fazer o tratamento eficaz para se prevenir de outras infecções que possam piorar o quadro de saúde”, observa.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste