Moradores do Jardim Barcelona cobram limpeza em quintais

15/04/2018 07:09 • ANDRÉ ESTEVES - Da Redação
José Reis, Aristeu solicitou vistoria no quintal da casa ao lado da sua José Reis, Aristeu solicitou vistoria no quintal da casa ao lado da sua

Moradores do Jardim Barcelona, em Presidente Prudente, estão preocupados com o aparecimento de escorpiões e outras pragas urbanas no bairro. Enquanto alguns acreditam que o esgoto seja a origem do problema, outros atribuem a situação ao descuido da população com seus próprios quintais. A costureira Eunice Ribeiro, 63 anos, e o aposentado Luiz da Silva, 65 anos, já se depararam com dois aracnídeos em sua casa e, por esta razão, passaram a ficar mais cautelosos e vigilantes a fim de evitar a exposição ao animal. Eunice acredita que os escorpiões saem do encanamento, o que teria sido confirmado por um agente comunitário da VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal).

O aposentado Aristeu Pontes, 65 anos, no entanto, destaca que o desencadeador do problema são os quintais. Do alto de sua residência, ele mostra os fundos da casa vizinha, onde o acúmulo de sujeira supostamente contribui para a proliferação de animais indesejados. Ele conta que, em decorrência disso, sua moradia já foi alvo de escorpiões e, principalmente, ratos, cujo número “perdeu as contas”.

Para tentar eliminar o risco, o munícipe acionou a Central de Atendimento 156 da administração municipal, que o informou que uma equipe iria até o local para averiguar a reclamação e, se necessário, notificar o proprietário. A reportagem constatou a presença de sujeira na casa mencionada por Aristeu, no entanto, tendo em vista que seus habitantes não foram localizados, o imóvel não será identificado.

A dona de casa Iara Maria Ricci Marques, 50 anos, argumenta que a população poderia ser mais consciente com relação ao lixo de produz, já que a falta de atitude de um pode, muitas vezes, anular a do outro. “Eu faço a minha parte e, por isso, espero que os outros também preservem seus espaços”, pondera.

 

Protocolo adotado

Por meio da Secom (Secretaria Municipal de Comunicação), a VEM explica que as ocorrências que envolvem o aparecimento de escorpiões são de responsabilidade do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), enquanto o acúmulo de lixo, junto ao surgimento de ratos, é de competência da Visa (Vigilância Sanitária Municipal). Já quando houver recipientes que sirvam de criadouros para o Aedes aegypti, a VEM deve ser comunicada.

Como o foco da reportagem é, sobretudo, os escorpiões, a supervisora do IEC (Informação, Educação e Comunicação), Cristiane Ragne, esclarece que, em residências com a presença do aracnídeo, é encaminhado um profissional do CCZ para orientação e prevenção. Na ocasião, o proprietário é instruído a manter o local em condições adequadas, isto é, com tela nos ralos, tampa de esgoto lacrada, sem restos de madeiras, telhas, tijolos e lixo em geral. “O profissional faz a busca ativa, ou seja, verificação de imóveis vizinhos, com o objetivo de encontrar o possível foco”, comenta. Caso haja terrenos que contribuam para a aparição do animal, o dono é notificado. De janeiro a março deste ano, o CCZ atendeu 177 solicitações, que resultaram na captura de 356 escorpiões.

A orientação geral é sempre manter os quintais limpos, sem acúmulo de lixo ou recipientes que possam conter água e propiciar a proliferação do mosquito da dengue. Caso ocorra o aparecimento de escorpiões, os moradores devem entrar em contato com o CCZ, por meio do telefone 3905-4220, ou até mesmo pelo 156.

 

 

Estrutura do bairro

Ano de implantação: 30/11/1978

Área de loteamento: 145.200,00 m²

Área verde: 13.421,00 m²

Quadras: 23

Construções: 216

Terrenos baldios: 151

População estimada: 1.080 pessoas

Fonte: Secom

 

SERVIÇO

A população pode promover suas reclamações, críticas e elogios sobre o bairro em que reside. O contato deve ser feito com os profissionais da Pauta, por meio do pauta@imparcial.com.br, do telefone 2104-3732 ou do WhatsApp 99104-8537.