COTIDIANO

Marketing pessoal, sardinha e caviar

  • 30/05/2019 05:23
  • Thais Rubia Ferreira Lepre

Há diversas formas de vender seu peixe. Alguns têm um produto de qualidade, mas ninguém sabe, outros vendem sardinha, como se fosse caviar. Mas o que é melhor? A resposta é simples: nenhum e nem o outro! Assim como é difícil o consumidor comprar um produto sem conhecer seus atributos, dificilmente alguém enxergará as qualidades de uma pessoa, que faz, mas ninguém sabe. Da mesma forma, assim como o consumidor não compra um produto ruim duas vezes, a credibilidade de pessoas que dizem que “são” ou que “fazem”, mas entregam algo muito inferior ao prometido, também não se sustenta.

E é aí que entra o marketing pessoal bem feito, que nada mais é do que promover a sua imagem, mostrando quem você é (identidade), seus talentos, o que fez e faz de bom. Até porque, quem não é visto, não é lembrado. Enquanto profissionais que estão sempre em destaque, participando ou desenvolvendo ações em que utilizam suas habilidades, competências ou talentos, transmitem a ideia de sucesso, de interesse, e de estar em constante aperfeiçoamento.

No entanto, apesar de o termo “marketing pessoal” estar na moda, ainda há muitas pessoas que resistem a ele, é comum ouvir “eu sou bom, não preciso ficar mostrando”. Precisa sim! Vivemos uma época em que as empresas buscam habilidades, competências e talentos que vão muito além da formação profissional, e somado a isso, temos uma grande quantidade de “profissionais de palco”, que dizem que são, que fazem, mas que na verdade, nunca fizeram nada e nem tem as habilidades, competências e talentos que tanto se gabam. Eles não se sustentam no mercado, mas assim como ocorre com um produto ruim que tem uma boa propaganda: enganam muitas pessoas a princípio.

Para desenvolver seu marketing pessoal, é bem simples, basta responder algumas perguntas: quem é você enquanto profissional? O que você já fez de relevante e/ou está fazendo? Quais talentos você tem? Quais valores te guiam? Quem é o público que você quer que te olhe com brilho nos olhos? O que esse público busca? Onde este público está (no Linkedin, na sua empresa, no mercado, em eventos da sua área de atuação, no Facebook...)? Tendo essas informações em mãos, você poderá planejar ações e formas de promover-se, de mostrar para esse público quem é você e o que você sabe fazer, através dos meios certos!

E se nessa reflexão você perceber que faltam habilidades, competências, talentos ou conhecimento? Excelente! Significa que você conseguiu enxergar limitações, e terá a oportunidade de melhorar, para que venda realmente caviar ao invés de sardinha em uma embalagem bonita.

ÚLTIMAS DO AUTOR

Thais Rubia Ferreira Lepre

Thais Rubia Ferreira Lepre

Thais Rubia Ferreira Lepre é doutora em Administração, coordenadora dos cursos de Marketing EAD e Administração EAD, além de docente da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista).

PUBLICIDADE