Manutenção de celulares é tema de curso gratuito

Responsável pelo projeto diz que capacitação custa R$ 1.300, mas parceria com a Prefeitura trouce o acesso gratuito às pessoas

GABRIEL BUOSI • 14/01/2018 14:06:46

. Foto: Marcio Oliveira , Projeto gratuito beneficiou 16 alunos na Praça do Parque Alvorada

O CEU (Centro de Artes e Esportes Unificados Professor Samoel Brondi), na Praça do Parque Alvorada, em Presidente Prudente, foi palco de uma capacitação gratuita com a intenção de preparar os interessados na manutenção de celulares. Com duração de três dias, sendo hoje o último, o curso itinerante, que custa R$ 1,3 mil quando cobrado, deu a oportunidade àqueles que não têm a chance de desembolsar a quantia. Conforme o coordenador do projeto, Rogério Lopes, a juventude precisa de uma oportunidade de inserção profissional no mercado de trabalho e, por isso, a ideia com cunho social.

A reportagem acompanhou as atividades da turma composta por 16 alunos, na manhã de ontem, e encontrou alunos que já trabalham na área, outros que estão desempregados e em busca de uma oportunidade e até mesmo os que se aventuram na busca por conhecimento. A intenção do curso se deu por conta das tendências do mercado atual e proporcionará aos alunos um certificado de participação. “O projeto é de Presidente Prudente, mas percorremos o país todo com o curso pago, no valor de R$ 1,3 mil. Sempre tive o sonho de trazer a ideia com o cunho social, bati um papo com a Prefeitura e viabilizamos para aqueles que precisam de uma chance. E o melhor de tudo, sem pagar nada”, esclarece Rogério.

A turma que encerra as atividades hoje recebeu conteúdos teóricos e práticos voltados para o sistema operacional e também físico dos aparelhos. 

 

Beneficiados

Felipe Régis, 22 anos, está desempregado, mas pronto para encarar o mercado de trabalho. Questionado sobre o interesse em participar da capacitação, o jovem informa que tem afinidade com a área e viu como uma oportunidade de capacitação. “Pretendo terminar e investir na manutenção de celulares. O curso superou minhas expectativas e espero conseguir uma oportunidade com esse novo conhecimento”, esclarece.

Já o funcionário público municipal Renato da Silva, 39 anos, lembra que há dois anos tentou se capacitar para trabalhar com o conserto de smartphones, mas não encontrava uma oportunidade gratuita. “Os cursos passavam de mil reais e eu não tinha como bancar. Assim que soube das vagas aqui, tratei logo de me inscrever. Já me arrisco um pouco nessa área, mas agora quero me profissionalizar”.

A única mulher da turma, a aposentada Aparecida de Fátima, 56 anos, deu um show de habilidade e mostrou que nunca é tarde para encarar novos desafios. “É meu primeiro contato com essa área de consertos, mas vejo que o conhecimento nunca é demais. O curso é ótimo e posso até mesmo me arriscar no conserto dos aparelhos nas horas vagas”, finaliza.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste