Manuscritos encontrados na P2 são pontapé de operação em 14 Estados

Cerca de 20 mandados são cumpridos em presídios do oeste paulista; célula criminosa é responsável por homicídios e desaparecimentos de pessoas

ANDRÉ ESTEVES • 14/06/2018 13:50:00

Nos esgotos do Presídio de Segurança Máxima de Venceslau, agentes encontraram fragmentos de manuscritos. Foto: Arquivo

Após 12 meses de investigações policiais, a operação interestadual Echelon, que visa combater uma célula de organização criminosa atuante em Estados brasileiros e países vizinhos, realiza hoje o cumprimento de cerca de 20 mandados de prisão em penitenciárias da região do oeste paulista. Os trabalhos são resultados de uma ação conjunta entre a Polícia Civil, o MPE (Ministério Público Estadual) e a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária). De acordo com o promotor de Justiça, Lincoln Gakiya, os alvos que já estão presos responderão, portanto, por mais um crime. Ele aponta que os números regionais serão informados após uma coletiva de imprensa que será realizada na tarde de hoje, por volta das 16h, na sede da SSP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo), na capital paulista.

Mais cedo, a reportagem tentou levantar a quantidade exata de mandados de prisão e em quais unidades prisionais se dariam, no entanto, a SAP informou que, por ora, não seria fornecido nenhum detalhe para não prejudicar as ações em curso.

Conforme nota enviada pelo Deinter-8 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior), as investigações começaram a partir de fragmentos de manuscritos encontrados por agentes penitenciários nos esgotos do Presídio de Segurança Máxima de Presidente Venceslau. Na ocasião, a Polícia Civil foi acionada para apurar o caso e, após a identificação técnica de sete líderes de organização criminosa, os trabalhos revelaram a existência da célula “sintonia de outros Estados e países”.

Ainda segundo a corporação, já foi detectado o envolvimento de 103 integrantes, dentre os quais 75 serão presos hoje em 14 Estados. Aqueles que já estiverem dentro do sistema prisional terão os mandados cumpridos nas respectivas penitenciárias. Em consonância, policiais civis de todo o país cumprem 59 mandados de busca e apreensão.

O Deinter-8 esclarece que o grupo investigado é responsável por acirrar a disputa de facções no país, contabilizando mais de uma centena de mortes, de forma que constitui parte da operação o compartilhamento inicial de provas sobre 12 homicídios.

A deflagração também tem por objetivo investigar o envolvimento em outros homicídios e desaparecimentos de pessoas em todo o país, a partir de um domínio único dos líderes da organização que engendraram o esquema criminoso. Até o momento, mais de uma tonelada de drogas foi apreendida. Um dos líderes da célula criminosa que autorizava mortes quase que diariamente foi preso no dia 10 de maio, no aeroporto de Guarulhos (SP), quando retornava da Bahia.

 

 

 

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste