José Reis - Fase de Presidente Prudente reuniu 285 atletas, recorde da competição, no Sesi Furquim

Foto: José Reis - Fase de Presidente Prudente reuniu 285 atletas, recorde da competição, no Sesi Furquim

PRIMEIRA VEZ

Liga Paulista de Natação quebra recordes em Prudente

Etapa regional começou com O pé direito, já que a cidade registrou 285 atletas e que passaram pelas piscinas do Sesi (Serviço Social da Indústria) do Furquim ontem

  • 14/04/2019 05:30
  • GABRIEL BUOSI - Da Reportagem Local

Presidente Prudente recebeu ontem pela primeira vez uma fase da Liga Paulista de Natação, evento que ocorre há sete anos e visa fomentar o esporte, além de promover a integração de crianças, jovens e adultos apaixonados pela modalidade. A etapa regional começou com o pé direito, quando a cidade quebrou um recorde de participantes de todas as edições, ao registrar 285 atletas, que passaram pelas piscinas do Sesi (Serviço Social da Indústria) do Parque Furquim ao longo da competição ontem.

De acordo com o diretor técnico da Liga Regional de Natação, Rinaldo Luchesi, conhecido como Bill, é neste momento que as equipes realizam uma avaliação dos atletas, através dos resultados, já que eles conquistam pontos individuais e também para as equipes. “São 10 etapas ao longo do ano, sendo que esta em Prudente é a terceira. A cidade foi escolhida a partir de uma reunião em Marília e estamos felizes com o recorde de atleta que batemos, justamente por ser a primeira vez que estamos por aqui com as disputas”.

A competição foi distribuída em 12 categorias, como aquela voltada aos iniciantes, 25 metros, 50 e 100 metros, e reuniu crianças a partir de três anos e até mesmo idosos. “Temos, inclusive, paratletas, pois nosso evento visa a inclusão e que tem crescido em números de participantes a cada ano que passa”, finaliza Bill. 

O paratleta e campeão brasileiro dos 200 metros no ano passado, Vitor Orselli, 20 anos, veio de Jaú (SP) para as piscinas do Sesi. Ele é um bom exemplo de atleta comprometido e com o dom de nascença. Para ele, ações como a de ontem são gratificantes para quem é apaixonado pelo esporte. “Eu comecei com 10 anos na natação, por questões de saúde mesmo, e aos poucos fui entrando em competições. Gosto desse tipo de ambiente”. Ele informa ainda que vive “24 horas por dia” a natação, já que dá aulas como estagiário em uma academia, estuda Educação Física e pensa em se profissionalizar. “É tudo para mim”.

O fim da competição ocorrerá em Tupã (SP), em dezembro, quando os melhores do ano serão premiados.