Cedida/Kazu Reis - Kazu: “Foram quase dois meses de espera e torcendo”

Foto: Cedida/Kazu Reis - Kazu: “Foram quase dois meses de espera e torcendo”

TALENTO PRUDENTINO

Kazu Reis sobe ao palco do Barretão 2019

  • 23/08/2019 05:59
  • THIAGO MORELLO - Da Redação

Há mais ou menos dois anos, o comerciante Wilson Ichioka, 52 anos, assumiu o nome artístico Kazu Reis, considerado por ele, também, como um personagem. A ideia foi assumir de vez a paixão pela música sertaneja e trilhar mais caminhos para chegar ao sonho de qualquer artista: o reconhecimento. Hoje, ele dá um importante passo para nessa trajetória, ao se apresentar pela primeira vez no Palco Culturando, na Festa do Peão de Barreto 2019, o Barretão.

E o grande dia chegou, depois de 40 dias de espera. Esse é o tempo desde que o cantor ficou sabendo que foi chamado para se apresentar, após passar por um processo seletivo que também durou 40 dias. “Uma equipe do Barretão que roda pelo Brasil em busca de talentos é quem avalia. A gente manda um vídeo, um material artístico e aguarda o contato. Foram quase dois meses de espera e torcendo para que desse certo”, conta.

E deu! Na tarde de ontem, o prudentino partiu em direção ao destino esperado, com apenas boas expectativas na mala, e a vontade de subir ao palco do segundo maior evento sertanejo do mundo. Satisfação? Ele garante que é bem mais que isso. “Estou muito contente. E quando fiquei sabendo, senti que era meu sonho caminhando para a direção certa. É mais gratificante ainda por ser o primeiro japonês prudentino no palco de Barretos”, completa.

E quem estiver presente no Barretão poderá ouvir um repertório cheio de referências. Desde a galera da velha guarda, como Tião Carreiro, Milionário & José Rico e Sérgio Reis - ídolo esse que deu origem ao nome artístico dele -, aos músicos atuais: Wesley Safadão e Gusttavo Lima, entre outros. “Será uma apresentação bem eclética, com direito a country americano de Elvis Presley”, conclui.

Trajetória

Wilson iniciou musicalmente aos 10 anos, nos karaokês, na colônia japonesa, e mais tarde no colégio participou em conjuntos. Na sequência, integrou um festival sertanejo em Presidente Prudente. Por surpresa, foi agraciado com o primeiro lugar e não parou mais, vencendo vários festivais. Pela paixão da música sertaneja resolveu investir na carreira.