Operação Tellus

Justiça acata pedido de prisão preventiva contra servidor

Decisão foi proferida pela juíza Patrícia Érica Luna da Silva, da Vara Única da Comarca do Fórum de Rosana

THIAGO MORELLO - Da Redação • 05/07/2018 18:54:09

Preso temporariamente desde a semana passada, o funcionário, de 42 anos, Itesp (Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo), deve permanecer encarcerado, uma vez que a Justiça acatou o pedido de prisão preventiva contra ele e outro réu, detido nesta quarta-feira (4). A prisão preventiva foi proferida pela juíza Patrícia Érica Luna da Silva, da Vara Única da Comarca do Fórum de Rosana. No documento, ela ainda atendeu a denúncia do MPE (Ministério Público Estadual) contra todos os seis envolvidos. Os réus fazem parte da investigação da Operação Tellus, acompanhada e notificada por este periódico.

Na decisão, Patrícia lembra da própria confissão do servidor, no qual ocorreu após a prisão temporária. Na ocasião, depois de um áudio ter sido incluso à investigação - que traz indícios da participação nas irregularidades dos dois réus presos preventivamente, o funcionário foi interrogado e confessou ter recebido vantagem para a realização de cadastros.

“Os graves indícios da participação dos réus estão demonstrados pelas declarações, depoimentos e interrogatórios prestados perante autoridade policial, inclusive com a confissão do próprio indiciado”, finaliza Patrícia.

Histórico

Como acompanhado pelo O Imparcial, o servidor foi preso pela Polícia Civil, investigado por suspeita de fraudar cadastro de interessado em obter a concessão de lote, junto ao Itesp. Na época, a polícia explicou que durante a prisão do primeiro suspeito, foram recolhidos materiais e documentos de propriedade do acusado, que corroboraram com informações obtidas na investigação inicial. A reportagem buscou o contato com os advogados do envolvidos, mas não obteve êxito nas tentativas.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste