Entre páginas

Jovens "mergulham" em livros físicos de gêneros variados

  • 17/01/2019 09:57
  • OSLAINE SILVA - Da Redação

Para quem é apaixonado por livros, ouvir dizer que diferente do que se pensa, que em plena era tecnológica, a leitura permanece latente, especialmente entre jovens, soa como o canto de um pássaro aos ouvidos! Sim, de acordo com o bibliotecário Murilo Tomiazzi, da Biblioteca Municipal Dr. Abelardo de Cerqueira César, localizada no Centro Cultural Matarazzo de Presidente Prudente, dia desses enquanto estava no balcão da unidade começou a prestar atenção no comportamento dos jovens que frequentemente visitam o local.

“Tem muitos que buscam de grandes clássicos à literatura brasileira, portuguesa ou mundial, Filosofia, entre outros gêneros. Muita gente hoje é influenciada por booktubers que fazem sucesso, têm milhões de seguidores que acompanham seus comentários, resenhas, avaliações sobre obras que leem”, comenta Murilo. “Os próprios youtubers que acabam escrevendo um livro. Tem escritores também que, além de lançarem livros, ainda alimentam blogs diariamente. Ou seja, o assunto da vez pode ser um escritor famoso, uma série que está no auge ou um novo romance. A lista de recomendações nas redes sociais é grande. O que antes se restringia a uma sala de aula, por exemplo, ganha o mundo num piscar de olhos”, acrescenta o bibliotecário.

Em um ambiente de biblioteca desde 2002, Murilo enfatiza que a média de leitura - que nunca foi tão alta no Brasil - continua a mesma de sempre. E explica que o que aconteceu, que fez com que as livrarias tivessem dificuldades e muitas até fechassem suas portas, não foi ocasionado pelos e-books/livros digitais, mas, sim, pela venda online.

“Na verdade, se pararmos para observar, diversos são os setores que sofreram as consequências por conta das facilidades que os serviços online proporcionam hoje em dia. Pelo que observo, a média de leitores não aumentou, mas também não diminuiu”, destaca Murilo.

A Biblioteca Municipal trabalha como um centro de informação para seus usuários e a comunidade em geral, oferecendo projetos de apoio e complemento à educação formal, incentiva a leitura, a busca pela cultura com vários projetos, cursos, oficinas, exposições, entre outras atividades. “Entre empréstimos, pesquisas e infocentro, em média, fazemos 60 mil atendimentos por ano”, expõe Murilo.

Questão cultural

Renan Sgrignolli, 27 anos, livreiro/proprietário da Book House, no Prudenshopping, complementa o posicionamento do bibliotecário. Conforme ele, em plena era em que a tecnologia predomina em cada espaço, físico ou virtual: jovens que gostam de ler, dificilmente se prendem a um tipo de livro. Eles buscam de biografias à drama, fantasia, romance, autoajuda, entre outros.

“Em nossa livraria, o interesse dos adolescentes e jovens adultos recai sobre os mais variados temas. Os mais jovens preferem livros para se entreter, em grande parte, literatura fantástica, romances com tema adolescente e quadrinhos. Já os jovens adultos, além das obras ficcionais, e livros de interesse geral, como ciência e filosofia, destaco a grande procura pelos que visam desenvolvimento pessoal e profissional”, acentua o livreiro.

Renan explica que os e-books representam uma parcela muito pequena do mercado de livros no Brasil e não só em Prudente, seja por uma questão cultural, por hábito ou fadiga ocular - como algumas pessoas apontam. “A verdade é que os leitores, simplesmente, não abrem mão do prazer de abrir seus livros novos, da troca de livros entre amigos e das lindas estantes de livros que ostentam com orgulho! A Book House foi inaugurada no Prudenshopping no dia 7 de fevereiro de 2012”, expõe o jovem proprietário da livraria.

                                                               Marcio Oliveira

Em média, entre empréstimos e pesquisas, Biblioteca Municipal faz 60 mil atendimentos por ano

PERFIL

                                                                Marcio Oliveira

Nome completo: Letícia Sangirolamo

Idade: 23 anos

Curso e ano: Formada em 2017

Faculdade: Pedagogia

Cidade: Presidente Prudente

O Imparcial: Como foi “seu primeiro contato de amor” por um livro?

Letícia: Comecei a gostar de livros por causa da minha mãe, que me presenteou com um, ‘A última música’, de Nicholas Sparks. Eu tinha uns 13 anos. Li, gostei e a partir de então muitos outros foram fazendo parte dos meus dias. Conheci uma amiga que também gostava muito de ler, especialmente romance, que é meu gênero preferido, porque me imagino na história, entro nela [risos], então, passamos a trocar os livros que líamos.

Quantos costuma ler por mês?

Depende. Leio uma média de 2 a 3. Compro livros novos, usados, além de ganhar bastante, porque todo mundo sabe que eu amo ler! Estou sempre em busca de lançamentos e até mesmo antigos, por meio de páginas no Facebook que fazem esse tipo de indicação literária. Quando pego um livro, quero lê-lo de uma vez. Fico ansiosa e curiosa para saber o que vai acontecer lá no final. Sempre falo: ‘Só mais um capítulo’ [gargalha], e nisso vão mais uns 10.

Prefere o livro físico ou digital?

Ah, com certeza o físico! Por dois motivos. Primeiro porque o digital cansa minhas vistas. Segundo porque não é a mesma coisa. Não dá para comparar. A sensação de pegar um livro físico, folhear página por página, sentir o cheiro do papel, a textura dele é diferente. Existe um contato mágico [risos]. Gosto demais de ler à noite, deitada na minha cama. Nada melhor que chegar do trabalho e relaxar em minha cama lendo um bom livro!

Atualmente, que livro está lendo?

Nesse momento estou lendo ‘O orfanato da srta. Peregrine – Para crianças peculiares’. Estou no comecinho, então, não dá para falar sobre ele ainda.

Em sua opinião, qual a importância da leitura para a formação de uma pessoa? Por exemplo, é visível no olhar de uma criança o quanto ela se envolve em uma contação de histórias. Como isso pode influenciar em sua vida futura?

A leitura é de extrema importância, porque ela enriquece o nosso vocabulário, nossa interpretação, o que nos ajuda a obter cada vez mais conhecimento de mundo, de vida. Para a criança, acredito que a leitura influencia na imaginação, onde elas acabam fazendo relações com situações que vivem no cotidiano, ampliando, assim, a compreensão da realidade e desenvolvendo a criatividade.

DICA DE LIVRO

                                                                      Divulgação

“Quando a Bela domou a Fera”

Autor: Eloisa James

Tradução: Thalita Uba

Editora: Arqueiro

Sinopse: Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher. Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas. No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu?"

                                                                      Divulgação

"O Peregrino"

Autor: John Bunyan

Editora: Mundo Cristão

Sinopse: Na segunda metade do século 17, o cenário religioso da Europa era conturbado. Apesar do domínio geográfico e político, o cristianismo se estilhaçava em cisões cada vez mais profundas. Até mesmo o protestantismo enfrentava o problema da divisão, muitas vezes promovida por pessoas ou grupos motivados pelo desejo autêntico de servir a Deus de maneira abnegada, não importando os obstáculos no caminho. “O peregrino” venceu todas as barreiras — o tempo, as diferenças culturais e as divergências religiosas — e se consagrou como uma das obras de ficção mais lidas de todos os tempos. Geração após geração, leitores vêm buscando conforto, orientação e entretenimento na extraordinária jornada de cristão, o peregrino que viaja rumo à Cidade Celestial. O pregador inglês John Bunyan (1628–1688) tece de modo alegórico o destino de todo aquele que abraça a fé cristã como fundamento de vida. Em lugares sombrios como o Desfiladeiro do Desespero e o Pântano da Desconfiança, confrontado por personagens como Bajulação e Malicioso, seu protagonista se vê diante de inúmeras provações, e somente a perseverança e a confiança em Deus lhe permitirão alcançar seu alvo.

AGENDA

SÁBADO (19/01)

Evento: Sarau Solidário

Local: Centro Cultural Matarazzo

Endereço: Rua Quintino Bocaiúva, 749, Vila Marcondes

Informações: 3226-3399

Horário: 19h30

Convite: 1 quilo de alimento não perecível