Jovem é preso com 4 pedras de crack na boca

Policiais abordaram o rapaz, que confessou o tráfico; na residência foi localizada arma, munições e mais entorpecentes

ROBERTO KAWASAKI - Da Redação • 06/06/2018 19:07:29

Homem confessou aos militares que estaria traficando entorpecentes em praça. Foto: Polícia Militar

Na noite de ontem, a Polícia Civil prendeu um homem, 18 anos, após confessar, em abordagem policial, que estaria traficando entorpecentes em uma praça, na Vila Geni, em Presidente Prudente. No flagrante, o acusado escondia pedras de crack na boca e, em diligências em sua residência, foram localizadas mais drogas, além de uma arma de fogo e munições.

A equipe de Força Tática da Polícia Militar realizava patrulhamento de rotina nas imediações da Vila Geni, quando avistou um indivíduo em atitude suspeita sentado no banco de uma praça. Diante disso, os militares abordaram o rapaz, 18 anos, e localizaram dentro da boca quatro pedras de crack, embaladas em plástico transparente. Ainda com ele, foi localizada uma quantia de R$ 60 em espécie.

Questionado a respeito do flagrante, contou que estava no local para comercializar o entorpecente e que naquele dia, já havia vendido seis pedras de crack, a R$ 10 cada, confessando que o valor localizado na abordagem era proveniente da venda. Ainda durante a entrevista, o jovem afirmou que na residência onde mora havia mais pedras de crack, bem como uma arma de fogo.

Em diligência ao endereço indicado e com base nas evidências, a equipe seguiu até o imóvel na Rua Borba Gato e, após busca domiciliar, localizou diversas pedras de crack dentro de uma lata de achocolatado, que estava escondida atrás de uma bacia no quintal da residência. Dentro do quarto do jovem, os militares localizaram embaixo do travesseiro uma pistola de calibre 22, oxidada e com numeração suprimida, além de seis munições íntegras de mesmo calibre. Na ocorrência, não foi apresentado registro ou porte para a arma.

Diante dos materiais, o acusado alegou que havia adquirido o entorpecente de uma pessoa desconhecida, pela quantia de R$ 800, sendo que pelo mesmo valor, comprou o revólver de outro desconhecido. Conduzido à Delegacia Participativa de Presidente Prudente, ele recebeu voz de prisão e permanece à disposição da Justiça.

 

 

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste