Sexta-Feira . 22 Fevereiro . 2019
Sinopse climática

Janeiro é marcado por chuvas menos distribuídas

Maior concentração de precipitações foi registrada em basicamente 3 dias, o que trouxe à população a sensação de mês seco

08/02/2019 09:41 • ANDRÉ ESTEVES - Da Redação
Arquivo - Chuviscos e garoas foram mais recorrentes durante o mês de janeiro Arquivo - Chuviscos e garoas foram mais recorrentes durante o mês de janeiro

Chuvas menos distribuídas trouxeram a sensação de que janeiro foi um mês seco em Presidente Prudente. De acordo com a sinopse climática divulgada pela Estação Meteorológica da FCT/Unesp (Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista), a precipitação média mensal no município foi correspondente a 200,8 milímetros, número ligeiramente inferior ao valor histórico (211 mm), que compreende o período de 1969 a 2015. Ao todo, foram 13 dias de chuva na cidade, sendo que a maior concentração foi registrada em basicamente três dias – 5, 6 e 24 de janeiro –, que totalizaram 172 mm e responderam por 86% do total. “Nos outros 10 dias, houve precipitações, mas de forma muito menos expressiva. Na verdade, foram mais chuviscos e garoas”, expõe.

O responsável pelo estudo explica que a precipitação média verificada naquele mês está dentro da normalidade, no entanto, o que chama a atenção é o fato de a maior concentração ocorrer em dias específicos. Geralmente, o mês de janeiro tem distribuição de chuva entre 20 e 22 dias, o que não ocorreu neste ano.

O Climatempo corrobora as informações. Segundo o instituto, observa-se que, de uma forma geral, choveu menos em toda a região sudeste, com exceção da capital paulista, que ficou numa situação um pouco melhor na comparação com o Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. “Ainda assim, no interior do Estado de São Paulo, a chuva aconteceu de maneira irregular, com pancadas mal distribuídas e pontuais. Nem todas as cidades receberam temporais de fim de tarde”, expõe.

O cenário tem explicação. A meteorologista do Climatempo, Josélia Pegorim, esclarece que, como um possível efeito do processo de formação do El Niño, a Asas (Alta Subtropical do Atlântico Sul) se intensificou no começo do ano e reduziu as áreas de instabilidade, consequentemente a nebulosidade e a frequência de chuva na região sudeste. Ela acrescenta que muitas horas de sol forte e pouca chuva fizeram as temperaturas ficarem altas nos dias em que não houve precipitações.

Dias quentes

Em Prudente, a sinopse climática da FCT/Unesp revela que os termômetros mantiveram-se estáveis. No primeiro mês de 2019, a temperatura média foi de 27,5° C, ao passo que o valor histórico neste período é de 25,3° C. Isso porque os dias quentes já são esperados nesta época do ano. O Climatempo adianta que, para fevereiro, a previsão é de chuva mais distribuída e frequente na região. “Isso não quer dizer que em algum dia de fevereiro não possamos registrar temperaturas altas, mas a diferença é que não será como janeiro, com dias consecutivos de temperaturas muito elevadas”, pontua.