Desafios do mercado

Investir em conhecimento pode viabilizar o negócio

GABRIEL BUOSI - Da Redação • 15/04/2018 06:54:47

Foto: Marcio Oliveira , Lucas estudou sobre o ramo do açaí e diz que é preciso preparo

Diante do atual cenário e dos números de encerramentos e aberturas de empresas, que tiveram, respectivamente, reduções de 80,42% e 40,09% entre o primeiro trimestre do ano passado para o mesmo período deste ano, a reportagem ouviu dois proprietários de empresas que abriram recentemente um novo negócio. O dono da Taçaí, Lucas Ribeiro, investiu em conhecimento para obter sucesso no empreendimento e não entrar nos números de fechamentos de empresas. Já a empresária Camila Mescoloti avaliou a melhor época para investir em uma loja de aluguel de vestidos e lembra que o incentivo para com os empresários enfrenta dificuldades.

O prudentino Lucas já atuou no ramo da alimentação, no Estado do Paraná, e, após desfazer o negócio, decidiu junto com sua sócia retornar à região e investir no mercado de açaí. Diante do atual cenário econômico vivido pelo país no início de 2017, quando surgiu a ideia, ambos investiram em estudos e conhecimentos do setor em que estavam se arriscado, para que o “tiro no escuro” se tornasse um empreendimento de sucesso. “Abrimos a primeira casa de Açaí no Paraná, no início do ano passado, e desde então estávamos com a ideia de trazer para Prudente. Aqui, inauguramos em setembro e optamos pelo produto por causa da grande procura e por ser algo que está fomentado”.

Lucas lembra, no entanto, que para não cair nos números de empresas que fecham as portas em pouco tempo, optou por, junto com a sócia, estudar ainda por cerca de 20 dias o local e o bairro em que a loja seria aberta, o público e a rotina dos possíveis novos clientes. “Fomos para a capital aprender mais sobre o ramo e fizemos uma perspectiva de como seria o empreendimento. Foi totalmente arriscado, mas estávamos prontos para o desafio e cientes de qual era o nosso produto e público-alvo”. O proprietário, por fim, deixa uma dica aos leitores ao informar que se o capital não for o suficiente para manter o negócio no início, o ideal é “segurar” o empreendimento e aguardar pelo momento adequado.

Já a proprietária da unidade de Presidente Prudente da Dress 4 You Atelier, Camila, afirma que foi no primeiro trimestre de 2017 que ela teve a ideia de abrir uma loja de aluguel de vestidos, negócio que se concretizou em novembro do mesmo ano e tem sido uma experiência positiva. “Resolvi investir no ramo por uma necessidade própria. Eu tinha eventos para ir e não queria comprar vestidos que, geralmente, possuem valores altos. Além disso, não encontrava opções de peças com qualidade, de marca e com valores bons”, ressalta.

A proprietária optou então por uma loja de franquia, que para ela é a garantia de um produto de qualidade e de boa procedência, mas lembra de que, mesmo com a fase boa do empreendimento, vê dificuldades com a falta de incentivo do governo para com os empresários. “O negócio em si está ótimo, mas precisamos pagar muitos impostos e está cada vez mais difícil de manter uma empresa, mas essa não é uma realidade individual, mas coletiva”.

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste