COTIDIANO

Investimentos dependem do incentivo do setor público

  • 10/04/2019 04:00

A Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados) divulgou nesta semana e O Imparcial abordou em suas páginas que 16 empresas anunciaram investimentos na região de Presidente Prudente no ano passado. Os dados compõem a Piesp (Pesquisa de Investimentos Anunciados no Estado de São Paulo), que permite a identificação das principais tendências setoriais e regionais da economia paulista, fornecendo elementos para a tomada de decisão dos agentes públicos e privados. Apesar de individualmente importantes, os investimentos, no geral, são baixos e colocam a região de Prudente entre as menos visadas para investimentos no Estado. Fato preocupante para aquela que já foi tida como uma das regiões de maior potencial econômico de São Paulo. Razão pela qual os líderes políticos e municipais, mas também a iniciativa privada e o terceiro setor, deveriam se movimentar no sentido de atrair a atenção dos investidores, ou então estaremos fadados a ser aquela eterna promessa que não vingou.

Evidente que isso é o que ninguém que mora e ama esse canto do Estado quer, por isso algo precisa ser feito, e urgente, pois a cada dia que passa a região de Prudente encolhe um pouco mais, enquanto cidades que já foram menores não param de inflar - como é o caso de Maringá e Londrina, ambas no Paraná. Nada contra o crescimento alheio, mas sabemos que temos potencial para trilhar o mesmo caminho. O que nos falta é uma gestão conjunta entre os setores da sociedade, um arregaçar das mangas para lutar pelo bem comum e pelo desenvolvimento regional.

Em sua grande maioria, a região é composta por pequenas cidades, que sofrem com a falta de emprego, envelhecimento da população e o êxodo entre os mais jovens, faixa etária produtiva. No entanto, cidades maiores como Presidente Venceslau, Presidente Epitácio, Dracena, Adamantina e Prudente têm potencial para alavancar a região. Basta querer e somar forças! Chega de apenas formar profissionais gabaritados e vê-los partir para outras regiões para gerar riquezas! É tempo de absorver a demanda!