Investimento em educação passa pela infraestrutura e termina na sala de aula

  • 12/06/2019 04:01

O governo do Estado de São Paulo divulgou recentemente e O Imparcial traz hoje em suas páginas o anúncio do investimento de R$ 28,4 milhões em obras de infraestrutura e reformas em 32 escolas da rede estadual da região de Presidente Prudente, por meio do programa Escola+Bonita. A execução pela Secretaria Estadual da Educação começa neste ano e será feita através de um convênio com a FDE (Fundação para Desenvolvimento da Educação). A medida vem de encontro com o anseio das unidades, que buscam há anos por essa verba para sanar com seus problemas estruturais, mas o investimento em reformas na área da educação não pode ficar restrito aos prédios, deve adentrar as salas de aula e compreender as políticas pedagógicas, a formação e valorização dos professores, e o papel dos alunos dentro da escola.

O investimento total em todo o Estado será de R$ 1,1 bilhão, em reformas de 1.384 escolas e ocorrerá de forma escalonada nos próximos três anos. Para 2019, estão previstas obras em 630 escolas, que custarão R$ 439 milhões. Em 2020, o governo do Estado vai destinar R$ 549 milhões para melhorias de infraestrutura de 660 unidades. Por fim, em 2021 haverá o investimento de R$ 109 milhões em 94 escolas.

Mas como não só de prédios vive a educação, tais reformas devem atingir também aspectos pedagógicos e estruturais da educação. A começar por aquilo que é ensinado em sala de aula, passando pelo papel de professores e alunos dentro da escola, bem como a valorização do magistério com salários dignos e carga horária justa.

A educação é essencial para a construção de uma sociedade justa, de um país ideal, longe da atual falta de infraestrutura não apenas física, mas principalmente intelectual, cheia de ideologias e vicissitudes. E isso é papel de todos, governo, diretores, professores, pais e alunos.