Interior terá duas novas usinas de energia solar

A empresa francesa GreenYellow anunciou a construção de duas usinas de energia solar na região Noroeste do Estado de São Paulo, em Barbosa e Penápolis, em áreas privilegiadas pela incidência solar ao longo do ano. O investimento inicial será de R$ 40 milhões. Há seis anos no país, o grupo dobrará a sua capacidade de produção e se posicionará como um dos grandes players na produção de energia limpa e na gestão de projetos de eficiência energética do Brasil. A GreenYellow está presente em sete países. No Brasil, a empresa já soma nove usinas de energia solar. A notícia foi comemorada por Wilson

  • 15/06/2019 04:30
  • Contexto Paulista

Nos hospitais

A demanda por energia solar é crescente em todo o Estado. Um exemplo é o projeto em análise na Assembleia Legislativa que prevê a implantação de painéis solares fotovoltaicos nos hospitais mantidos pelo Estado. O objetivo é a conversão de energia solar em energia elétrica, garantindo maior eficiência e menor custo aos estabelecimentos.

 

Nova fábrica

A empresa Meta, que atua no segmento de rastreabilidade, construirá uma nova fábrica no Estado de São Paulo. Será em Itupeva, região de Jundiaí.

 

A toque de caixa

Sete projetos de lei foram aprovados na Assembleia Legislativa na sessão de quinta-feira. Para que se transformem em lei, há necessidade de sanção pelo governador João Dória.

  • Proibido o fornecimento de canudos confeccionados em material plástico no Estado;
  • Passam a ser obrigatórios cardápios em braile e letras ampliadas em bares e lanchonetes;
  • Portadores de doenças crônicas e degenerativas terão isenção tarifária nos meios de transporte coletivo metropolitano e intermunicipal;
  • Liberados o consumo e propaganda de bebida alcoólica em eventos esportivos nos estádios de futebol e arenas;
  • Ao aluno diabético está assegurado cardápio de alimentação escolar especial, adaptado à sua condição de saúde;
  • O telefone 180, da Central de Atendimento à Mulher, será divulgado em locais públicos e de transporte;
  • Modificada a Lei nº 452, de 2 de outubro de 1974, que instituiu a Caixa Beneficente da Polícia Militar.

 

Em pauta na Assembleia

Empreenda Fácil - A Comissão de Atividades Econômicas analisa projeto de lei que cria o Plano Estadual de Desburocratização - Empreenda Fácil com o objetivo de simplificar e acelerar a abertura, licenciamento e fechamento de empresas.

Consciência - Passou pela Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia projeto de lei que obriga motoristas, motociclistas e ciclistas a prestarem socorro quando ocorrer atropelamento de animais. Aprovado também proposta que institui o Dia Estadual da Consciência Verde.

 

Rever os pedágios

O deputado estadual Rafa Zimbaldi (PSB) quer rever as tarifas praticadas nas praças de pedágios em todo o Estado. Segundo ele, “são altos os valores cobrados”.

 

Barragem paulista

A CPI que investiga a situação da represa de Salto Grande, em Americana, vai convidar prefeitos e promotores para prestarem esclarecimentos sobre os riscos de rompimento da barragem. O assunto interessa também a outras cidades do entorno como Piracicaba, Rio Claro e Limeira.

 

Defesa do Consumidor

O Código do Consumidor dá às empresas até cinco dias úteis para repor itens essenciais fornecidos com defeito. Para os demais produtos, o prazo é de 30 dias. O problema é saber o que é “essencial”. Projeto de lei em discussão na Assembleia pretende eliminar a subjetividade na queda de braço entre consumidor e empresa, e assegura a substituição rápida de itens como medicamentos, telefone celular, computador, televisor, geladeira, máquina de lavar, fogão, colchão e produtos utilizados como instrumento de trabalho.

 

Educação

Será aplicada prova em 300 escolas estaduais de São Paulo, envolvendo cerca de 25 mil alunos da 1ª série do ensino médio. Com o exame, a Secretaria Estadual da Educação vai avaliar os níveis de proficiência em matemática, ciências, português e leitura entre os estudantes da faixa de 15 anos de idade. Os resultados vão fornecer subsídios para as tomadas de decisão do governo.

 

Dinheiro em caixa

A PEC 391/2017, que prevê o acréscimo de 1% no primeiro decêndio de setembro do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), poderá começar a ser votada na próxima semana. O FPM é o principal repasse da União aos municípios, fundamental para o equilíbrio de contas das prefeituras. A expectativa dos municipalistas é que as regras comecem a valer em 2020. Se for aprovado, os municípios poderão receber quase R$ 10 bilhões a mais nos próximos quatro anos. A Comissão Especial que trata da PEC vai se reunir na terça-feira (18).

 

Contexto Paulista

Contexto Paulista

Coluna desenvolvida pela Associação Paulista de Jornais

PUBLICIDADE