Iluminação e terrenos baldios são alvos de reclamação

ANNE ABE • 14/01/2018 13:54:06

Imagine chegar do serviço ou apenas querer andar pelo próprio bairro à noite e ter que fazer isso em meio à escuridão, pois os postes de iluminação não funcionam. Além disso, ter que passar em frente de terrenos e praças com mato alto, sem saber o que pode estar escondido. Essa é a realidade enfrentada pelos moradores do Jardim Colina, em Presidente Prudente, que se sentem “esquecidos” com a falta de manutenção no local.

Em frente à residência da filha da dona de casa Celia Maria Miola, 61 anos, que também mora no bairro, há um poste de luz que não funciona. Conta que a filha trabalha até meia-noite e, por isso, acaba chegando tarde em casa, o que faz a mãe ficar apreensiva a sua espera. “É duro chegar no escuro, fico preocupada com ela, ainda mais por esses terrenos em volta”, relata.

Na Rua Dolores Sanches Marques os problemas com a iluminação se repetem, conforme declara a dona de casa Alice Bento dos Santos, 76 anos, que também possui um poste em frente à sua residência que não funciona. “Fica tudo no escuro, precisamos de mais iluminação”, pleiteia.

Segundo o morador Antonio Brustelo, 57 anos, de seis postes na mesma via, apenas três funcionam regularmente, os demais “ficam com a luz oscilando”. No local ainda há uma praça, que também relata não ser iluminada e, ao lado, um terreno com mato alto, que causa preocupação com a segurança da casa. “Essa rua tem o maior movimento do bairro, é perigoso ficar no escuro, ainda mais com esses terrenos. Antes a limpeza era feita de mês em mês, agora pararam”, pontua.  

 

Respostas

A Sosp (Secretaria de Obras e Serviços Públicos) informa que o serviço de manutenção da iluminação pública é executado com o prazo de 48 horas, após a solicitação feita pelos moradores, assim como os demais reparos em ruas e avenidas. Para tanto, os pedidos devem ser registrados através do site oficial do município ou pelo telefone 156.

Os mesmos canais devem ser utilizados para registrar queixas quanto à limpeza e o mato alto em terrenos, segundo a pasta. No entanto, informa que as chuvas têm sobrecarregado o trabalho, devido ao aumento da demanda na programação de rotina. “Não dá para usar máquina com esse tempo de chuva, além de prejudicar as condições de trabalho”, conclui.

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste