Marcio Oliveira - Chapéu é boa opção para se proteger do sol intenso do verão

Foto: Marcio Oliveira - Chapéu é boa opção para se proteger do sol intenso do verão

Ingestão de líquidos

Idosos devem redobrar cuidados com hidratação

Segundo médico, na melhor idade, as altas temperaturas do verão potencializam desidratação e ressecamentos na pele

  • 11/01/2019 05:12
  • SANDRA PRATA - Especial para O Imparcial

Para não “se sentir pesada” no verão com comidas gordurosas, Denise Mancini, 53 anos, sempre opta por alimentos mais leves, como verduras, frutas, frios e retira os industrializados quase que totalmente da dieta. De acordo com ela, esses são cuidados básicos para o bem-estar no calor. O especialista em clínica médica do HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo, de Presidente Prudente, Luís Felipe Pires, afirma que uma alimentação balanceada, regada de fibras e líquidos, é um dos segredos para sobreviver às altas temperaturas da estação, em especial quando se trata da faixa-etária acima de 60 anos.

De acordo com o médico, é nesta fase da “melhor idade” que problemas de absorção alimentar começam a surgir e isso, no calor, pode ser um problema. “Isso varia de idoso para idoso, mas é comum”, expõe. Outro problema “típico” da idade e potencializado com as altas temperaturas é a desidratação, que é resultado da “alteração no senso regulatório da sede”. Isso significa, conforme o especialista, que a partir desta idade a pessoa tende a sentir menos sede e beber menos água, o que, no verão, é um prato cheio para a desidratação e problemas como o ressecamento da pele. “O corpo para de apresentar indícios de que precisa se hidratar”, explica.

No caso de Denise, esse problema ainda não existe. Conforme ela, no calor procura sempre estar hidratada, justamente para evitar situações assim. “Também consumo gelatinas neste período. Alimentos assim sempre estão presentes na minha geladeira durante o calor”, conta.

Orientações

Para que cada vez mais pessoas sigam o exemplo de Denise, o especialista orienta não apenas os mais idosos, mas a população em geral, a ingerir em torno de 30 milímetros de água por quilo diariamente. Ou seja, uma pessoa que pesa 70 quilos, deve beber entre 1,4 litro a 2,1 litros. “Cuidados básicos, como protetor solar, evitar sol usando chapéu e coisas que protejam, também são válidos”, denota.

O sol deve ser evitado em horários de pico de temperatura. Sendo assim, o especialista indica a caminhar até às 9h – devido ao horário de verão – ou depois das 16h. “São medidas simples que facilitam a qualidade de vida durante esse mês mais quente”, ressalta.

Denise já está acostumada, por isso, acredita que não faça tanta diferença na rotina o fato das temperaturas estarem elevadas. “Vejo muita gente usando toalhinhas para secar o suor, e, normalmente, isso ocorre porque comem coisas muito pesadas, então, quanto a isso estou tranquila, não sofro muito, já é algo do meu habitual”, diz.