Humanização na saúde

  • 05/09/2019 01:25
  • Gabriel de Oliveira Lima Carapeba

A humanização na saúde está baseada na moral de todos aqueles que frequentam um hospital ou clínica de saúde. Ela não está relacionada simplesmente ao comportamento que nossa sociedade espera de cada um de nós. A moral na humanização é algo muito maior, está relacionada com uma atitude espiritualizada, cultivando a fraternidade, o amor, a tolerância e o respeito mútuo.

Em nossa maravilhosa Presidente Prudente, temos profissionais da saúde extremamente capacitados, que inclusive palestram em universidades e congressos ao redor do mundo. Aqui temos também profissionais que compõem a equipe hospitalar como faxineiras, copeiras, seguranças e atendentes, que por tudo que se esforçaram e todo treinamento que receberam, são pessoas de elevado grau de caridade, dispostas a auxiliar todos que estão passando por momentos de dor.

Por que às vezes nos deparamos com situações de falta de respeito ao próximo?

Vivemos numa época onde as intolerâncias ao próximo por divergências políticas, de crenças ou classe social, nos levam a tomar atitudes que normalmente não tomaríamos com nossos semelhantes. Devemos lembrar que todos foram criados com a mesma essência e seremos maiores e melhores a cada dia, se formos capazes de olhar o interior de cada pessoa, no seu íntimo mais brilhante, ao invés de suas características externas. Nós somos muito mais do que a roupa que vestimos.

Nada justifica a falta de respeito com o próximo, seja você um paciente precisando de ajuda, ou um atendente auxiliando o paciente. Uma “faísca” por um acontecimento desagradável no início da relação que está em processo de formação, do conjunto atendente/paciente, pode ser a resposta pela falta de respeito cometida por um dos dois lados minutos ou dias depois. Por vezes, nossa resposta ríspida e desproporcional a um fato simples acontece de maneira inconsciente. Porém, a atitude mais humana frente a uma grosseria feita por nós, mesmo que tenha sido inconsciente, é desculpar-se tão logo tenhamos a consciência de tal fato. Excessos de, por favor, obrigado e desculpas, apenas fazem o bem aos olhos do próximo. 

A humanização depende de todos que frequentam um ambiente de auxílio à saúde. O melhor medicamento para combater a raiva e a tristeza é o amor. Pensem no amor como sendo a chave que abrirá a primeira porta de sua jornada diária, aqueles caminhos que você irá percorrer para levar alívio corporal e espiritual a alguém que precisa.

Não importa seu lado dentro do hospital, como paciente ou como provedor de saúde, use e abuse do amor. A pessoa que está na sua frente sentirá maior segurança e acolhimento para continuar sua caminhada, e vocês estarão juntos até o fim.

ÚLTIMAS DO AUTOR