Paulo Miguel - Frei Francisco se orgulha do número de atendimentos do HR, um dos maiores do interior

Foto: Paulo Miguel - Frei Francisco se orgulha do número de atendimentos do HR, um dos maiores do interior

ÁREA DO DRS-11

Hospital Regional concentra 43,13% das internações

Dados divulgados ontem demonstram os méritos e dificuldades do serviço público de saúde realizado no Departamento Regional de Saúde de Presidente Prudente

  • 08/11/2019 04:00
  • MARCO VINICIUS ROPELLI - Especial para O Imparcial

Dados divulgados durante visita do secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann Ferreira, a Presidente Prudente, na manhã de ontem, demonstram a estrutura de saúde da região. O diretor do DRS-11 (Departamento Regional de Saúde), Jorge Chihara, explicou, por meio de estatísticas, o serviço de saúde realizado na região e os desafios que precisam ser superados.

O DRS-11 é responsável por zelar por 769 mil habitantes, munido de 17 hospitais e unidades de urgência e emergência espalhados por diversas cidades. Entre setembro de 2018 e agosto de 2019, 62.410 internações foram registradas: 43,13% no HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo, em Prudente; 8,32% na Santa Casa de Misericórdia de Presidente Prudente; e 6,21% na Santa Casa de Misericórdia de Dracena; e mais de uma dezena de outros hospitais com porcentagens menores.

O protagonismo do HR é destacado na fala do presidente da Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus, frei Francisco Beotti, que lembra, orgulhoso, que o Hospital Regional é o único 100% SUS (Sistema Único de Saúde) do Brasil com selo de qualidade. “Atendemos, em média, 22 mil pessoas por mês. Por dia passam 8.665 pessoas pelo HR, servimos 120 mil refeições mensais”, enumera o frei.

DESAFIOS PRECISAM

SER SUPERADOS

Jorge Chihara, em sua fala de explanatória, apontou que os gastos dos munícipios e alguns agravos de maior ocorrência são dignos de atenção do secretário de Estado. A cidade da região que destinou, em 2018, proporcionalmente maior parte de sua renda à saúde pública foi Iepê, com 34,85% da renda, em contrapartida, destinando 16,62%, Anhumas figura como a que investiu menor parcela. Presidente Prudente destinou 27,69% da renda municipal para as políticas de saúde no ano passado. Quando da prestação de contas da Secretaria Municipal de Saúde em setembro, o chefe da pasta, Valmir da Silva Pinto, afirmou à reportagem que são porcentagens muito altas que oneram os cofres dos municípios da região e solicitou apoio das esferas estaduais e federais.

Outro desfio são as doenças que ainda preocupam o oeste paulista. Destaca-se a dengue, que até 28 de outubro, somou 13.778 casos na região representada pelo DRS-11de Prudente. Outra preocupação latente é o aumento dos casos de sarampo, que já somaram 17 ocorrências e os acidentes por picadas de escorpiões, que passaram dos 1,7 mil casos.

Agravos de maior ocorrência – DRS-11

Agravos

Quantidade até 28/10

Sarampo

17

Dengue

13.778

Leishmaniose visceral

32

Hanseníase

47

Tuberculose

244

Hepatites B e C

119

Acidentes por picadas de escorpião

1.708

Leishmaniose tegumentar

10

Meningite

56

Fonte: Sistema de Informação de Agravos de Notificação