COTIDIANO

Hora de minerar

  • 28/05/2019 06:21
  • Walter Roque Gonçalves

Extrair minérios em diversos tipos de solos, inclusive a rocha, é a função da mineração. Nas rochas que se encontram ouro e diamantes, por exemplo. Hoje, manter uma empresa em pé com mínimo de lucro para evitar amargos prejuízos é como minerar ouro e diamante. Principalmente no quadro de incertezas que vivemos no momento, frente às reformas necessárias para destravar o país.

Os movimentos que levaram milhares de pessoas para a rua nos dias 15 e 26 de maio deixam claro que ainda há polarização quanto aqueles que apoiam ou não o governo de Jair Bolsonaro (PSL). Na Câmara dos Deputados, muitos partidos parecem fazer questão de atravancar os trabalhos. Este ambiente não é bom para os negócios. Empresários de todos os portes estão receosos e segurando investimentos. Menos empreendimentos, menos empregos, menos dinheiro circulando.

Independentemente de como está a economia, o empresário já estabelecido com o seu comércio não pode esperar. Há contas para pagar mensalmente e é preciso lucro. É como se estivesse em alto mar, os ventos sopram forte, há tempestades e bonanças. Resta ao navegador ajustar as velas, pois não pode tem como controlar os ventos. Na fase de bons ventos, com o mercado aquecido, manter um ponto comercial, produtos nas prateleiras e funcionários para atender, geralmente é o suficiente para garantir o faturamento mensal. Contudo, em fases como vivemos no momento, ter um ponto comercial pode não ser o bastante. Neste caso, é preciso ir mais longe e aperfeiçoar-se nas questões que envolvem o marketing, o treinamento da equipe e as finanças.

Obviamente que os solavancos da economia nacional nos afeta, mas enquanto as principais indústrias da região estiverem empregando e a Prefeitura continuar pagando os salários, há um bolo para o comércio explorar! Talvez um bolo menor, devido as questões políticas e econômicas nacionais, mas ainda um bolo grande e milionário que será disputado pelo comércio, real a real.

Neste sentido, tenho utilizado a mineração como a metáfora para este momento. Quebrar pedras é a sensação que muitos empresários têm nesta fase, esforços que parecem não dar em nada. No entanto, a certeza de que há ouro e que vale a pena continuar tentando faz toda a diferença: não é preciso jogar a toalha, ainda há como equilibrar as contas e até crescer neste momento! Para tanto, é preciso “minerar” detalhes no comportamento do cliente, no perfil daqueles que consomem produtos e serviços, na comunicação com o mercado via o marketing, no preparo da equipe de vendas e líderes e controle fino das finanças. Então, que tal deixar o pessimismo de lado é hora de minerar.

ÚLTIMAS DO AUTOR

Esperança

  • 24/06/2019 05:12

Investidor prudente

  • 07/05/2019 04:10
Walter Roque Gonçalves

Walter Roque Gonçalves

Walter Roque Gonçalves é consultor de empresas, professor-executivo e colunista da FGV/ABS (Fundação Getúlio Vargas/América Business School) de Presidente Prudente.

Contato: fb.com/jkconsultoriaempresarial/

PUBLICIDADE