Arquivo: Indivíduo segue em atendimento em um hospital psiquiátrico

Foto: Arquivo: Indivíduo segue em atendimento em um hospital psiquiátrico

CASO CONCLUÍDO

Homem resgatado em mata é identificado pela Polícia Civil

De acordo com a investigação, indivíduo é índio de origem paraguaia; ele está sendo atendido em um hospital psiquiátrico em Presidente Prudente

  • 26/04/2019 17:59
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

Nesta sexta-feira, a Polícia Civil identificou a origem do homem que havia sido resgatado em uma mata nas proximidades do Rio Paraná, em Porto Primavera, distrito de Rosana. Trata-se de um índio de origem paraguaia que, há pouco mais de um mês, foi encontrado em condição de higiene precária e portando uma faca. Naquela época, a dificuldade para identificar o indivíduo surgiu pelo fato de conversar, aparentemente, em tupi-guarani.

De acordo com o delegado Ramon Euclides Guarnieri Pedrão, foi comunicada a Funai (Fundação Nacional do Índio) que, dentro do prazo de 15 dias, deverá tomar providências necessárias para o acolhimento social do indivíduo. Ainda, segundo a autoridade, a notificação chegou ao MPF (Ministério Público Federal) para que possa fazer o acompanhamento do caso. Um órgão competente no Paraguai também foi informado para fazer contato com a tribo.

Enquanto aguarda os trâmites para a possível ressocialização, o homem segue em atendimento em um hospital psiquiátrico em Presidente Prudente. Conforme o delegado, o acusado passou por consulta com o médico responsável que apontou que o indivíduo possui retardo mental moderado. Na unidade de assistência, permanece internado em tratamento medicamentoso. 

Busca e localização

No mês passado, noticiamos sobre o resgate do homem em Porto Primavera. Segundo o delegado responsável pela investigação, desde o ano passado o policiamento recebia informação de que o indivíduo perambulava pelas imediações do distrito armado com uma faca. Em certas ocasiões, ele teria tentado agredir algumas pessoas. “Diante das informações, demos início aos trabalhos para tentar localizá-lo. Inclusive, com o uso de drones que sobrevoaram o possível local onde ele pernoitava, no entanto, não foi avistado”.

Segundo a autoridade, uma testemunha comunicou aos investigadores que o rapaz havia sido visto caminhando por uma rodovia em direção ao Estado do Mato Grosso do Sul. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros também foram comunicados e prestaram auxílio na abordagem. O homem estava em “estado deplorável de higiene”.

“Ele portava um vasilhame com urina e estava com uma faca no bolso. Segundo apontado por testemunhas, no local onde tinha o costume de ficar, ele chegava a consumir carne de cachorros, uma vez que pernoitava nas proximidades de um aterro sanitário onde há dejetos orgânicos”, relata Pedrão. Com o homem não foram encontrados documentos.