Polícia Federal - Policiais apreenderam celulares, dinheiro e documentos

Foto: Polícia Federal - Policiais apreenderam celulares, dinheiro e documentos

FLYING LOW

Homem, que não teve a identidade revelada, era investigado por integrar quadrilha detida por transporte de 500 kg de cocaína em helicóptero, no sábado, em Prudente

Suspeito de integrar esquema é encontrado morto

  • 15/04/2019 04:00
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

As polícias Civil e Federal em Presidente Prudente investigam as circunstâncias da morte de um homem no município, com suspeita de envolvimento na organização criminosa que transportava 500 kg de cocaína em um helicóptero, apreendido no final de semana. O corpo foi encontrado nesta segunda-feira, em um motel. De acordo com a Polícia Federal, a suspeita é de que ele tenha cometido suicídio. Demais informações a respeito da investigação, como a identidade do suspeito morto, estão sob sigilo e não foram repassadas.

As prisões e apreensão de cocaína ocorridas durante a Operação Flying Low tomaram repercussão nacional, inclusive, do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. Em uma publicação na rede social Twitter, o ministro comemorou o resultado da operação e parabenizou o trabalho da Polícia Federal. “Vamos usar esse helicóptero contra o próprio tráfico de drogas, como a lei permite”, disse. A postagem de Moro teve mais de 31 mil curtidas, e comentários de internautas parabenizando a ação dos policiais.

A Operação Flying Low iniciou há um ano, e foi deflagrada na madrugada de sábado. O objetivo da ação, segundo o órgão federal, foi o de combater a organização criminosa envolvida com tráfico ilícito de entorpecente, realizado por meio aéreo. Diante do monitoramento dos suspeitos, policiais federais descobriram que o helicóptero com meia tonelada de cocaína pousaria em Prudente, e organizaram um esquema para prender os acusados. Desta forma, aproximadamente 25 policiais federais participaram do trabalho, contando com o apoio aéreo do Caop (Comando de Aviação Operacional) da Polícia Federal e da Polícia Militar.

Avaliação milionária

De acordo com a polícia, o nome da operação é traduzido do inglês como “voando baixo”, e se refere ao modo como era feito o deslocamento aéreo. Conforme a investigação, os criminosos buscavam a droga no Paraguai e a levavam para o Estado de São Paulo onde a aeronave, avaliada em R$ 4 milhões, era reabastecida na área do matagal. No local da abordagem, duas pessoas foram detidas, sendo elas o dono do helicóptero e uma mulher. O namorado dela e outra acusada não foram localizados. Ao final daquele dia, a Polícia Militar Rodoviária prendeu três suspeitos em Boituva (SP), entre eles o piloto, que havia fugido na abordagem em Prudente.Além da grande quantidade de entorpecente, também foram apreendidos arma, veículos de luxo, documentos e dinheiro em espécie. Na tarde desta segunda-feira, as diligências continuaram com o apoio de demais equipes policiais, com o objetivo de desarticular a organização criminosa e prender mais suspeitos.