Foto: Arquivo Pessoal, Ciclo de cultivo em estufa climatizada leva até 40 dias

Em estufas Hidroponia é opção de cultivo

 13/01/2018  - ANNE ABE - Especial para O Imparcial

A A A

Com consumo racional de água e adubo e a redução no uso de agrotóxico, a hidroponia é uma alternativa para a produção de alimentos saudáveis. Alface, agrião, salsinha, espinafre, hortelã e rúcula são algumas das opções que podem ser cultivadas nas hortas hidropônicas. Com isso, a qualidade das hortaliças é garantida, independente das condições climáticas, devido às estufas onde se desenvolvem, que possuem um sistema protegido.

Pioneiro nesse ramo, o técnico de agronomia e hidroponicultor, José Aparecido Nunes Sampaio, 54 anos, explica que nesta modalidade a produção se inicia com as mudas, que são preparadas a partir do plantio de sementes peletizadas em uma espuma fenólica. Seu desenvolvimento demora até 15 dias e deve ocorrer em um berçário. Após isso, as mudas são transferidas para as bancadas definitivas, que são alimentadas diariamente por uma água com todos os nutrientes necessários. Nesta etapa, o processo leva entre 25 a 30 dias, completando o ciclo total de 40 dias para a colheita.

“É um sistema protegido, que se pode cultivar durante todo o ano, independente do tempo. Com ela, da para produzir conforme a demanda, mesmo fora de época, diferente da forma convencional”, expõe. O hidroponicultor destaca que a temperatura da estufa também é um fator importante, tendo que ser de 22°C e água entre 20°C a 25°C.

 

Custos

Com tanta tecnologia envolvida na produção das hortaliças, os preços são uma preocupação dos consumidores. Assim, José Aparecido informa que o valor acaba sendo de 10% a 20% mais caro, haja vista que é preciso o uso de equipamentos e produtos específicos. “No método convencional, a terra fornece todos os nutrientes sem custos. Mas têm gastos com operacionalização, pois precisa dos tratos culturais”, pontua.

Outra vantagem destacada pelo produtor é a produção das hortaliças não ser afetada com as mudanças climáticas, garantindo a mesma qualidade sempre, evitando prejuízos e perdas. Durante os meses de janeiro a abril, que são mais chuvosos, a demanda por este tipo aumenta, pois a produção convencional “não consegue produzir verduras de qualidade por causa das chuvas”.

O único ponto negativo visto pelo hidroponicultor são os custos para implantar o sistema hidropônico, que estima ser, aproximadamente, R$ 12 mil, para uma estufa com 100 m². No entanto, informa que, para fins comerciais, o indicado é uma área mínima de 300 m², que consegue produzir até 4 mil pés de alface, dento do ciclo de 40 dias.

“A procura pelo sistema hidropônico está grande e crescendo cada vez mais no mercado, porque o clima da região oscila muito. O agrião, a rúcula e o coentro, por exemplo, se adaptam melhor ao sistema hidropônico”, finaliza.

Comentário