Arquivo - Elaine explica que exame foi encaminhado ao Adolfo Lutz

Foto:  Arquivo - Elaine explica que exame foi encaminhado ao Adolfo Lutz

CENÁRIO PREOCUPANTE

Grávida de 8 meses tem morte suspeita por dengue

Vigilância Epidemiológica, em Prudente, encaminhou os exames ao Instituto Adolfo Lutz para análise; mulher era vizinha da que faleceu por conta da doença

  • 19/05/2019 04:00
  • THIAGO MORELLO - Da Redação

Presidente Prudente, até a última atualização, contabilizava 858 casos de dengue, o que já é considerado um cenário preocupante pelas autoridades. Dentro dessa situação, a VEM (Vigilância Municipal Epidemiológica) investiga a morte de uma mulher de 37 anos possivelmente por conta da doença. Ela estava grávida de oito meses e internada no HR (Hospital Regional) “Doutor Domingos Leonardo Ceravólo”. O bebê passa bem. Se confirmada, esse pode ser o segundo caso de óbito por conta da dengue.

A supervisora da VEM, Elaine Bertacco, relata que o órgão ainda trata a situação como morte suspeita, pois só é possível falar diante da confirmação do laboratório. “Já encaminhamos a amostra para o Instituto Adolfo Lutz e, agora, tem de aguardar. Então, oficialmente, ele é para gente um óbito suspeito”, completa.

Como apurado pela reportagem, a informação é de que a vítima estava grávida de oito meses e internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do HR, teve que fazer um parto forçado, mas não resistiu e veio a óbito.

Em nota, a unidade de saúde relatou apenas que a paciente em questão deu entrada no hospital na tarde da quarta-feira e foi atendida pela equipe médica e multiprofissional. “Seu quadro evoluiu a óbito na noite de ontem [sexta-feira], às 19h30. Quanto ao questionamento sobre a causa da morte, está sob investigação laboratorial e a confirmação ou descarte da suspeita de dengue será dada pela Vigilância Epidemiológica do município."

Ademais, a informação é de que a vítima seria vizinha da moradora do Parque Alvorada, que como informado por esse periódico, foi o primeiro caso de morte por dengue no município, o que foi confirmado pela Vigilância. E por conta disso, Elaine explica que, logo de imediato novas ações estão sendo traçadas para a zona quatro da cidade, onde o bairro está localizado, a fim de melhorar o efetivo contra a prevenção. No entanto, ela reitera que a comunidade local já sabe de tudo o que o possível ser feito para acabar com os criadouros, e também deve agir. “E já temos atuado dentro dessa área, antemão aos casos”, complementa.

Como informado, na última atualização, a VEM em Prudente contabilizava 858 registros da doença, sendo 842 autóctones, aqueles contraídos no município, e outros 16 importados, vindos de outras localidades. Além disso, o município possui outras 3.419 notificações.

Primeira morte

No início do mês, o jornal O Imparcial noticiou a confirmação da primeira morte por dengue em Prudente. Na ocasião, uma mulher de 49 anos, moradora do Parque Alvorada, foi a vítima constatada. Na época, ela chegou a receber atendimentos médicos no município, quando apresentou piora no estado de saúde e o quadro clínico evoluiu a óbito enquanto esteve na Santa Casa de Misericórdia.

Ações

Como destaca a supervisora da VEM, o município tem desenvolvido uma série de ações, como mutirões de limpeza, e efetivos inéditos, como os aspiradores de mosquitos Aedes aegypti, utilizados em bocas-de-lobo. A ideia é promover a localização e erradicação de possíveis criadouros em bueiros. Mas Elaine lembra que a atitude da população é importante, como sempre é orientado, quanto à limpeza de quintais, como tampar caixa d’água, virar garrafas e pneus, colocar areia nos pratos de vasos de plantas, entre outros.