ECONOMIA

Governo anuncia instalação de polo de desenvolvimento na região de Prudente

Fomento do Estado atingirá o setor de biocombustíveis; entre os estímulos estão cursos customizados e adequados às demandas de 11 regiões

  • 24/05/2019 04:00
  • THIAGO MORELLO - Da Redação

O governador João Doria (PSDB) anunciou ontem, no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, a criação de 11 polos de desenvolvimento econômico com pacotes de benefícios setoriais para a indústria, sendo um deles destinado à região de Presidente Prudente. Conforme a informações do governo, o fomento atingirá o setor de biocombustíveis. De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado, o objetivo é fomentar e incentivar o aumento da produtividade da indústria, atraindo assim, “investimentos, impulsionando a inovação e a geração de empregos e renda, reunindo na mesma região geográfica políticas para determinado setor produtivo”.

No efetivo, a otimização das políticas públicas será feita em torno de seis pilares. São eles: “Simplificação Tributária e Regulatória; Financiamento Competitivo - voltado ao adensamento da cadeia produtiva; Tecnologia e Inovação; Qualificação de mão de obra; Infraestrutura e serviço; e Ambiente de negócios & Desburocratização - fast track de licenças e permissões, One Stop Shop”, completa. O Estado não falou sobre datas.

“A atuação dos polos é para identificar falhas de mercado e atuar nas falhas de governo”, comentou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, em nota da Assessoria de Imprensa.

Entre os estímulos do governo para desenvolvimento destes polos estão os cursos customizados e adequados às demandas das regiões, por meio das Fatecs (Faculdades de Tecnologia) e Etecs (Escolas Técnicas). “Estamos ajudando e tendo foco para auxiliar os setores produtivos nos polos que foram aqui anunciados. Quanto mais qualificada a mão-de-obra, melhor a qualidade do serviço que será ofertado ao setor privado, mais geração de emprego, mais velocidade na contratação destes profissionais”, destacou o governador, por meio da assessoria.

Setor industrial

Mas para quem receberá a novidade, “qualquer influência para incentivo vem a calhar”. Pelo menos é dessa forma que o diretor regional do Ciesp (Centro das Indústria do Estado de São Paulo), Wadir Olivetti, classifica. “Nós não temos nada. Sendo assim, todos os recursos que vierem para melhorar são bons. Investimentos são sempre muito bem-vindos e algo positivo para nossa região”, acredita.

Região essa que sempre foi carente de investimentos como esse, ainda segundo o diretor regional. “Um local distante da capital paulista sempre sofre com isso. Mas isso pode mudar com melhorias. É toda uma roda que pode girar e gerar economia local em movimentação, mais riqueza, mais emprego e melhorias nas cidades”, finaliza.

Biometano

Já está em andamento na região os trâmites para produção de biogás em Narandiba e condução até as cidades de Pirapozinho e Presidente Prudente. Como noticiado por esse diário no último mês, segundo a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Meio Ambiente, a medida faz parte de um projeto intitulado “Cidades Sustentáveis” e foi lançado durante a Agrishow, evento que ocorre em Ribeirão Preto (SP). Na primeira etapa, a intenção é que 230 mil pessoas sejam beneficiadas com a medida. A estimativa é de que a operação comece no segundo semestre de 2020.

Considerada pelo setor o “pré-sal do oeste paulista”, pela capacidade de produção que pode chegar a 10 milhões de metros cúbicos por dia, a região se tornará em breve a primeira na distribuição de biometano no Brasil. Responsáveis pelo efetivo, as empresas GasBrasiliano e a Usina Cocal estimam que as obras relativas as tubulações, para que seja possível a entrega do biogás, sejam iniciadas em agosto desse ano.

A Usina Cocal, que tem sede em Narandiba - a qual será responsável pela distribuição -, explica que o trajeto percorrido pela tubulação seguirá rodovias municipais até chegar os municípios de destino.

Saiba mais

No Estado foram anunciados polos nos setores de Saúde e Farma; Metal-metalúrgico, Máquinas e Equipamentos; Automotivo; Químico, Borracha e Plástico; Derivados do Petróleo e Petroquímico; Biocombustíveis; Alimentos e Bebidas; Têxtil, Vestuário e Acessórios; Couro e Calçados; Tecnologia e Eco Florestal.

 

Polos industriais

1.         Agritech, Aeroespacial, Serviços Tecnológicos: Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto;

2.         Alimentos e Bebidas: Marília, Bauru, São Carlos, Barretos, São Paulo e Região Metropolitana, Piracicaba, Campinas;

3.         Automotivo: Sorocaba, Campinas, Piracicaba, ABC, Alto Tietê, São Paulo e Região Metropolitana, Vale do Paraíba;

4.         Biocombustíveis: Barretos, São José do Rio Preto, Araçatuba, Presidente Prudente;

5.         Couro e Calçados: Franca, Bauru, Araçatuba

6.         Derivados de Petróleo e Petroquímico: Baixada Santista, Piracicaba, Bauru, São Paulo, Alto Tietê, Vale do Paraíba;

7.         Eco Florestal: Vale do Ribeira;

8.         Metal-metalúrgico, Máquinas e Equipamentos: Ribeirão Preto, Central, Piracicaba, Sorocaba, São Paulo, Alto Tietê, Vale do Paraíba;

9.         Químico, Borracha e Plástico: Baixada Santista, São Paulo e Região Metropolitana, Campinas, ABC, Alto Tietê, Vale do Paraíba;

10.       Saúde e Farma: Ribeirão Preto, Campinas, São Paulo e Região Metropolitana, Alto Tietê;

11.       Têxtil, Vestuário e Acessórios: São Carlos, Itapetininga, Sorocaba, São Paulo e Região Metropolitana, Vale do Paraíba.

Fonte: Governo de São Paulo