FPF interdita Prudentão por falta de laudo

esporte

| JULHIA MARQUETI - Especial para O Imparcial

O Estádio Municipal Paulo Constantino, Prudentão, foi interditado ontem pela FPF (Federação Paulista de Futebol). Desta vez, o laudo que causou a interdição do local foi o de condições sanitárias e de higiene, o que representa a necessidade de uma vistoria da vigilância sanitária. A interdição teve inicio ontem e só será revista pela entidade quando a Prefeitura de Presidente Prudente apresentar os documentos para aprovação. De acordo com a Semepp (Secretaria Municipal de Esporte de Presidente Prudente), o documento já foi providenciado e deve ser encaminhado à entidade entre hoje e amanhã.

Todo o problema aconteceu, segundo a pasta, devido a mudança no documento solicitado, o que atrasou a saída do mesmo. De acordo com a Prefeitura, o documento foi providenciado há mais de 15 dias, mas uma mudança na execução do processo teria atrasado o procedimento. O laudo antigo venceu quarta-feira e a interdição começou ontem. “Mudou bastante coisa, ficou com um padrão acima do que era”, comenta Mauro Aoqui, assessor da Semepp. O restante dos alvarás, como laudo de prevenção e combate de incêndio, de segurança e de vistoria de engenharia, foram renovados em novembro de 2017, por isso estão todos dentro da validade.

 

“Documento foi providenciado há mais de 15 dias, mas uma mudança na execução do processo teria atrasado o procedimento”

Prefeitura de Prudente

 

De acordo com a FPF, após apresentação da vistoria e dos documentos necessários, o estádio já estará liberado para uso em competição. A interdição vale para qualquer evento esportivo profissional organizado pela FPF, com venda de ingressos. Entra nesta lista o Campeonato Paulista da Segunda Divisão, que terá início em abril, com a presença do Grêmio Prudente, time da cidade que faz uso do local.

Em primeiro um contato a diretoria do time prudentino disse que desconhecida a interdição. Mas depois de procurarem saber mais sobre o caso junto a Prefeitura, a diretoria se disse confiante na regularização de todos os procedimentos dentro do prazo. “Dependemos dela (Prefeitura), mas como disseram que já estão trabalhando com isso, estamos seguros”, afirma.

Comente com o editor

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste